Karinna Pimenta passou sete meses de sua gravidez dormindo sentada, devido ao rompimento da bacia. Durante as muitas noites acordada, escreveu compulsivamente, um trabalho que resultou em 1.400 páginas de uma trilogia de fantasia, nos moldes de “O Senhor dos Anéis”, cujo primeiro volume está saindo agora, 11 anos após os primeiros rascunhos.
 
Com lançamento no sábado, na Fnac do BH Shopping, “A Caçada de Goya” (Chiado Editora, 376 páginas, R$ 29) mergulha o leitor num universo fantástico sobre uma antiga civilização do Himalaia, chamada de os Imortais. “O livro é inspirado numa história real, sobre pessoas que chegavam a viver até 35o anos, atestadas por aqueles que hoje moram na região”, registra Karinna.
 
Ao contexto real, a escritora brasiliense, criada em Curvelo e Belo Horizonte, inseriu dados ficcionais, com a personagem Gaia, uma menina que vive no Brasil com a sua mãe e quer descobrir as razões de um espécie de leão negro persegui-la em seus sonhos desde pequena. “Escrevi uma história para meus filhos e para deixar um legado para eles”.
 
“O livro é inspirado numa história real, sobre pessoas que chegavam a viver até 350 anos”
 
A escritora, formada em Administração de Empresas, com especialização em Custos e Finanças e MBA em Marketing, salienta que toda mãe tem medo de morrer e não poder acompanhar o desenvolvimento dos filhos, o que a motivou a sublinhar valores que ela considera importantes para uma vida mais feliz, acentuando o lado espiritualista do livro.
 
Apesar de ser o primeiro livro de Karinna, ela tem facilidade com a escrita, evidenciada aos cinco anos de idade, quando “deixava de ir ao recreio para escrever cartas e textos pedidos por crianças que não sabiam escrever”. Muito nova já ouvia histórias, “não contos de fada, pois não tínhamos acesso, mas histórias de vida, reais”, contadas pela mãe e pela avó. 
 
Na hora de escolher a profissão, foi para a área de exatas, o que não a impediu de cultivar um hobby. “Escrevia muito, cartas principalmente. Até para o meu marido, ao invés de ligar para ele, eu preferia escrever um e-mail”, registra. A vocação voltou a bater a porta com mais intensidade quando resolveu sair da área executiva para se dedicar à maternidade.
 
Karinna tem mais quatro livros prontos – dois deles as continuações de “A Caçada de Goya”, que deverão sair pela mesma editora, a portuguesa Chiado. “Depois de receber 14 nãos de editoras brasileiras, já pensava em desistir e voltar para a minha área quando a Chiado, a última que tentei, deu um sim. É muito bom você ter a oportunidade de fazer o que realmente gosta”.