Obras de grandes nomes da arte mundial como Vincent Van Gogh, Diego Velázquez, Manet, Pablo Picasso, Edgar Degas, Francisco de Goya e também da arte brasileira, como Cândido Portinari, José de Almeida Júnior, Lasar Segall e Heitor dos Prazeres, chegam ao Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte (CCBB-BH) a partir desta quarta-feira (26). As peças fazem parte da exposição “Entre Nós – A Figura Humana no Acervo do MASP”, que traz para a capital mineira obras do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand.

As exposições anteriores no CCBB-BH foram sucesso de público: “ComCiência”, com 311.665 visitantes (número recorde na cidade), “Mondrian e o Movimento De Stijl” (154.771) e “Kandinsky” (129.791)


Nas mais de cem obras, o visitante pode ter contato com a celebrada coleção de arte europeia do MASP, a maior da América Latina, além das obras da coleção de arte africana de Manoel Robilotta, da arte brasileira e, também, da arte popular. 

A abrangência da mostra não tem relação apenas com a quantidade e variedade das peças, mas também com o grande arco temporal que abarca. 
São obras que datam desde o período pré-colombiano, antes do século 14, e que se estendem aos dias atuais.

Cinco grandes grupos

Como explica Luciano Migliaccio, que divide a curadoria da exposição com Rodrigo Moura, a mostra pode ser dividida em cinco grandes grupos.
“No primeiro deles temos o uso religioso da figura humana. O segundo é ligado ao retrato, ao seu uso político. O terceiro tem como foco o estudo do corpo, principalmente do século 19. Os últimos dois são ligados aos modernismos, a partir da fotografia, do desenho e das instalações”.

Desembarcando em Minas, depois de uma temporada no Rio de Janeiro, a exposição pode ter um gostinho especial para os mineiros. “Temos importantíssimos quadros do modernismo brasileiro. Mas para Minas Gerais, o São Francisco de Portinari deve dizer muito, porque temos as pinturas dele na Igreja”, aponta o curador, acrescentando que as obras de Picasso, Renoir e Cézanne também são representantes importantes da arte moderna na exposição.

Entre os temas religiosos, Migliaccio aposta o ‘Ecce Homo ou Pilatos Apresenta Cristo à Multidão’, de Jacopo Tintoretto, “que representa a arte cristã e envolve o espectador emocionalmente”.

As fotografias também são destacadas pelo curador. A exposição conta com produções de Claudia Andujar, Alair Gomes e Geraldo de Barros. 

Além de nomes mais conhecidos, a exposição abre também espaço para artistas autodidatas e para coleções feitas por pacientes de hospitais psiquiátricos. 

Diversidade da exposição é comprovada por variedade de escolas e de movimentos

Quando questionado sobre a multiplicidade da mostra, o curador Luciano Migliaccio responde que “essa é uma característica do MASP”.

“A arte é um fenômeno que se encontra em qualquer lugar, em qualquer espaço geográfico. Não temos um limite temporal, queremos passar uma experiência estética através da exposição”, completa.

Segundo Migliaccio, um dos objetivos da exposição “Entre Nós – A Figura do Homem no Acervo do MASP” é mostrar a diversidade de questões, linguagens e tipologias das obras disponíveis no museu. 

“Queremos fazer com que o MASP passe a ser conhecido no Brasil também como um lugar de debate, graças a pluralidade de seu acervo”, conclui.
A diversidade das obras fica clara também na própria variedade de escolas e movimentos em que as obras estão inseridas. 

A tipologia das obras também reforça o caráter plural da exposição, que conta com esculturas, quadros, instalações, desenhos, entre outros. 

Serviço: Exposição “Entre Nós – A Figura do Homem no Acervo do MASP”, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB-BH (Praça da Liberdade, 450, Funcionários). Visitas gratuitas de 26 de abril a 26 de junho, de quarta a segunda, das 9 às 21h.