A artista luxemburguesa Deborah de Robertis foi presa por exibicionismo em Paris, depois de posar nua no museu d'Orsay em frente a uma tela de Edouard Manet que representa a prostituta Olympia em uma postura parecida -
 informou seu advogado neste domingo.

 
Deborah escolheu a exposição "Esplendor e Miséria: Imagens da prostituição, 1850-1910" para tirar a roupa
e "filmar a reação do público com uma câmera", explicou seu advogado, Tewfik Bouzenoune, alegando que "era
uma performance artística".

 
Este não é o primeiro escândalo ligado à Olympia: o quadro da mulher desnuda interpelando diretamente o
público com o olhar gerou polêmica quando foi exibido pela primeira vez em 1865. A obra representa uma
prostituta, uma mulher real muito distante das idealizadas representações femininas da época.
   
O nu de Deborah de Robertis parece ter sido excessivamente real para o gosto do museu d'Orsay. "Havia muita gente na frente do quadro. Os seguranças responderam bem: fecharam a sala e lhe pediram que se vestisse. Como ela se negou, chamaram a Polícia para tirá-la de lá", disse uma porta-voz da instituição, que apresentou acusações contra a artista por exibicionismo.
 
De Robertis já protagonizou outro incidente, em maio de 2014, nesse mesmo museu, ao expor a vagina diante do quadro de Gustave Courbet "A origem do mundo", que reproduz a imagem de genitais femininos.