Uma visão particular e poética de um dos cartões postais de Belo Horizonte. Foi desta forma que o artista plástico mineiro Wendell Leal decidiu retratar o Parque Municipal Américo Renné Giannetti.

O resultado do trabalho é exibido entre amanhã e 18 de março na exposição “Refúgio Poético” – um dos projetos escolhidos no 2º Programa de Seleção da Piccola Galleria, espaço destinado à novos artistas na Casa Fiat de Cultura. Na coleção, o artista reúne 12 aquarelas e uma tela pintada à tinta acrílica.

Leal conta que a decisão de retratar o Parque Municipal surgiu de forma natural, a partir de suas andanças no centro de Belo Horizonte. “Comecei a andar pela região e fotografá-la. A partir disso, fui fazendo um arquivo com essas imagens. Depois me voltei para o Parque e passei a fotografá-lo também”, explica o artista. “Comecei a pensar nele como um refúgio, que não é só meu”, pontua Leal. Ele destaca que buscou exaltar a calmaria e o caráter contemplativo do ambiente em meio à agitação da região.

As memórias de infância e a própria força da paisagem também foram inspirações para Leal, que sublinha o desejo de não representar a paisagem de forma literal, deixando o reconhecimento à cargo do público.

“As pinturas surgem de recortes das fotografias que tirei. Um recorte da vegetação, que é imponente”, pontua. “Essa foi a minha forma poética de retratar aquele espaço”, define.

O artista explica que a produção das telas acompanhou sua própria relação e trajetória íntima com o ambiente retratado. “Eu trago duas questões: na primeira obra, que é maior, retrato a imponência da vegetação. As aquarelas, por outro lado, trazem uma visão mais intimista. Comecei a trabalhar nelas depois, quando fui ganhando proximidade com o lugar”, lembra o artista.

Serviço: Exposição Refúgio Poético, do artista plástico Wendell Leal, de amanhã a 18 de março, na Casa Fiat de Cultura (Praça da Liberdade, 10 – Funcionários). Entrada gratuita.