As imagens que compõem o clipe “Templo – Poesia Armada”, da atriz, cantora e compositora mineira Elisa de Sena, foram registradas há alguns meses em Belo Horizonte. A música foi lançada no ano passado, com o single “Magia”, mas é somente agora, na metade de 2018, que a faixa ganha um videoclipe e data de lançamento: amanhã, no canal do YouTube da artista.

Todo o tempo de espera, porém, é caso pensado. “Lançamos no dia 25 de julho porque essa é uma data simbólica. A nossa luta é todo dia, mas esta é uma data em que temos uma visibilidade e conseguimos ampliar a nossa voz”, explica a artista, referindo-se ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha. Não é à toa que o texto declamado por Elisa de Santa, na música, coloca em destaque o feminismo e a luta contra o racismo.

É justamente por dar destaque a essas temáticas que a faixa “Templo – Poesia Armada” foi a escolhida para o trabalho, que é o primeiro videoclipe da carreira da artista. “Ele fala de coisas que com o fato de eu ser uma mulher negra. Traz um pouco da minha militância”, justifica.

Se sua vivência fica evidente na canção, no videoclipe Elisa também coloca em cena sua experiência, e traz figuras importantes de sua trajetória em cenas do cotidiano, como os caminhos percorridos pela cidade, seja a pé, de ônibus, metrô ou bicicleta. “São várias mulheres que estão presentes na minha história, na minha luta feminista e antirracista. Achei legal trazer pessoas com as quais estou envolvida no dia-a-dia, com as quais converso sobre esses temas”, sublinha. Nas imagens, há ainda a presença de uma mulher não negra. “É importante para mostrar que a gente está junta, que a luta é de todos nós. O racismo não é um problema apenas dos negros, é de toda a sociedade”, pontua.

Embora a luta contra o preconceito seja histórica, a artista ressalta que ela se mantém contemporânea. “É uma luta que vem de muitos anos. Hoje, por vários motivos, por causa da luta de nossas ancestrais, conseguimos ter mais voz, mas ainda precisamos continuar falando sobre isso para que quem sabe um dia nossas filhas e netas não sofra tanto com o machismo e o racismo”, diz. E, apesar de discursos conservadores e preconceituosos ganharem cada vez mais força no mundo, a artista acredita que não é momento de temer. “O discurso conservador é uma resposta ao nosso avanço. Esse é o momento de ter força e serenidade para saber que essa onda conservadora é uma resposta aos nossos avanços”, conclui.

Serviço: O videoclipe de “Templo – Poesia Armada”, o primeiro da cantora, será lançado amanhã no endereço youtube.com/elisadesena