“Nunca fomos catequizados. Fizemos foi Carnaval”, escreveu Oswald de Andrade em seu fundante “Manifesto Antropófago”, obra que completa 90 anos em 2018, com juventude e vigor de nove. 

Aliás, nove anos é a idade que, de acordo com o alguns acordos, oficializados em mesas de boteco– protocolo folião mais genuíno– completa o “novo Carnaval de BH”, a “retomada da festa na cidade” ou qualquer outro nome que se queira dar ao que começou a acontecer em 2009, quando alguns poucos malucos trocaram o sofá-televisão, o aeroporto ou a rodoviária e ressuscitaram o que antes tinha cara de túmulo de samba: as ruas da capital mineira.

Parecia programa de índio, e era e ainda é. Mas como diria o velho Oswald, nenhuma catequização daria conta de explicar o milagre da multiplicação dos blocos, das fantasias, dos turistas. 

E das lutas, e das marchinhas e da redescoberta dos tantos belos horizontes que esta cidade tem. Liberdade ainda que tardia, abre as asas sobre nós, porque nossa carne é sim, de Carnaval.

A folia segue dispensando a missa e volta às ruas hoje, para dar tchau e semear as expectativas de que na festa de 10 anos, essa fantasia será ainda mais eterna.

Veja a programação para este domingo

Toca Raul Agremiação Psicodélica

Desde 2011 levando a música de um dos maiores nomes da música brasileira para a folia, o Toca Raul leva ao pé da letra um dos maiores chavões de qualquer show no país: sempre tem alguém pedindo a música do roqueiro baiano na platéia. Mais do que isso, como era de se imaginar, encontram-se diversos “sósias” do Maluco Beleza durante seu percurso, o que é garantia de diversão.

Horário: 10h, na Avenida Olegário Maciel 474. 
Porque ir: Seguramente uma das melhores definições do Carnaval de BH poderia ser dada por um verso de Raul: sonho que se sonha junto é realidade!

Outros blocos

10:00- Comando Rasta- Rua Roma– bairro Copacabana
14:00- Fecha a Santa- Praça Raul Soares- Centro
14:00- Fúria Latina- Rua Pernambuco- Savassi
15:00- Levada Baiana- Praça Rui Barbosa- Centr