Uma versão inédita de “Os Lusíadas: The Lusiads”, clássico de Luís Vaz de Camões, chega ao Brasil pela editora Landmark. A obra referência da história portuguesa é apresentada simultaneamente em inglês e português, em tradução que conta com anotações descartadas pelo autor na obra original de 1572.

Luís Vaz de Camões, nascido em Lisboa e considerado uma das maiores figuras da literatura lusófona, escreveu seu livro no Oriente. Lá o autor encontrou a escrita como forma de escape e em seus poemas retrata o heroísmo do homem português e suas viagens marítimas rumo a novas descobertas. A história ficou conhecida como a epopeia portuguesa e, após publicá-la,

A nova edição traz todas as características da original, sendo composta por dez cantos, 1.102 estrofes e 8.816 versos que são oitavas decassílabas, seguindo as estéticas greca e as vertentes do período renascentista.

O livro é dividido em proposição, introdução, invocação, dedicatória e narração, além do epílogo concluinte. São 728 páginas com uma das narrativas mais importantes da história mundial.

Tamanho é o sucesso da obra, que –durante a sua trajetória –contou com adaptações para o cinema, teatro, ópera, televisão e, até mesmo, histórias em quadrinho.

A versão original foi publicada em 1572 e, ao longo dos anos, traduzida para o alemão, castelhano, catalão, inglês, russo, italiano e japonês.

Tradução

Sir Richard Francis Burton, escritor, linguista e conhecido mundialmente pelas traduções de sucesso do “Kama Sutra” (1883) e “As Mil e Uma Noites” (1885), cita no prefácio que o mais prazeroso trabalho literário de sua vida foi traduzir “Os Lusíadas” e um dos maiores intentos era o de associar o nome dele com o nome de seu mestre, Camões. Burton se tornou pioneiro em estudos etnológicos devido a diversas viagens ao redor do mundo. Veio ao Brasil como representante do governo britânico e tornou-se próximo a Dom Pedro II, na época, imperador do país. Sobre o Brasil ele escreveu o livro “The Highlands of Brazil” da sua viagem ao interior do país.