Mais uma prova do crescente espaço para a dança na cena cultural de Belo Horizonte, a terceira edição do “Movasse e Parceiros em Cena” reúne profissionais de Minas e São Paulo em quatro espetáculos, além de promover o II Encontro de Políticas Públicas para a Dança. 

“A dança é um processo de construção coletiva e é necessário discutir sobre formação e a inserção dos artistas no mercado de trabalho”, comenta o bailarino e integrante do Movasse (organizador do evento), Fábio Dornas. Junto com os bailarinos Carlos Arão, Ester França e Andréa Anhaia, ele apresenta a coreografia inédita “Enfim”, produzida para comemorar uma década do coletivo. 

No espetáculo, o grupo trabalha a memória de corpos que resistem ao tempo na dança. “Olhamos para nossa trajetória e sobre como estamos até hoje na cena da dança. Tudo nesse trabalho traz a ideia do fio da vida, de algo que recebemos e passamos para frente”, observa Dornas.

Outro espetáculo que integra a edição é “Danças breves”, parte do projeto “Dança Jovem”. Ao todo, são cinco peças, com duração de 10 minutos cada uma, realizadas juntamente com os coreógrafos Tuca Pinheiro, Cristiano Reis, Dudude Hermann, Mário Nascimento e Sérgio Pena. A obra discute o corpo como lugar político. 

O solo “A Mulher que Cuspiu a Maçã”, de Rosa Antuña, e “Graxa”, dueto de Diogo Granato e Henrique Lima completam a programação do evento. 

Movasse e parceiros em cena. Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1046). De hoje a domingo, às 21h. Ingressos a R$ 10 (meia)