Conceição Evaristo, nascida no morro do Pindura Saia, em Belo Horizonte, é a vencedora do  Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura, da Secretaria de Estado de Cultura. Pela primeira vez, uma escritora negra é a ganhadora na categoria conjunto da obra. Autora de uma obra extensa, que inclui prosa e poesia, a belo-horizontina também ficou conhecida pela importância e densidade de seus romances, como “Ponciá Vicêncio” (2003) e “Becos da Memória (2006)”, que trata da complexidade humana e dos sentimentos de quem sofre com o preconceito, a fome e a miséria.

O prêmio tem como objetivo divulgar a literatura brasileira, reconhecendo grandes nomes nacionais e abrindo espaço para os jovens escritores mineiros. O edital distribui R$ 258 mil em quatro categorias: Poesia (R$ 30 mil); Ficção (R$ 30 mil); Conjunto da obra (R$ 150 mil); e Jovem Escritor Mineiro (R$ 48 mil). 

Além da vitória de Conceição Evaristo, as mulheres levaram prêmios em todas as outras categorias desta edição. Na categoria Ficção (Romance) a obra vencedora foi “Mobiliário para uma fuga em março”, sob o pseudônimo O. Callas, de Marana Borges. Na categoria Poesia, a obra vencedora foi “Fabulário”, sob o pseudônimo Esme, de Ana Cláudia Costa dos Santos. A Jovem Escritor desta edição é Sara Abreu Pinheiro e Silva, que venceu com o projeto “Membro Fantasma”. Na categoria Jovem Escritor, a Comissão Julgadora decidiu também dar menção honrosa para “A Casa dos Amores Loucos” com pseudônimo Tatiana Metanova e de autoria de Giovanna Ferreira Silva.

O Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura tem revelado e reconhecido grandes fazedores da escrita. Na categoria “conjunto da obra” já foram homenageados Adélia Prado (2016), Fábio Lucas (2015), Ferreira Gullar (2013), Rui Mourão (2012), Affonso Ávila (2011), Silviano Santiago (2010), Luís Fernando Veríssimo (2009), Sérgio Sant’Anna (2008) e Antonio Candido (2007).