O curta-metragem "Tremor", dirigido pelo mineiro Ricardo Alves Jr., foi o único brasileiro entre os selecionados para a competição Pardi di Domani (Leopardos de Amanhã), da 66ª edição Festival Internacional de Cinema de Locarno. 
 
O evento, que ocorre entre os dias 7 e 17 de agosto, na Suiça, é um dos mais importantes no mundo do cinema, famoso por hitoricamente apostar em jovens talentos, muitos dos quais se consolidaram internacionalmente: Stanley Kubrick, Glauber Rocha, Sangsoo Hong, Corneliu Porumboiu, entre outros. O Brasil está presente também na Competição Internacional do festival, com o longa "Educação sentimental", de Júlio Bressane.
 
A partir de uma preocupação estética com mise-en-scène, jogos de luz e sombra e coreografias da personagem no espaço, "Tremor" apresenta um dia na vida de Elon Rabin, que, em descida ao inferno, caminha pela cidade de Belo Horizonte em busca da esposa desaparecida. Para Ricardo Alves Jr., a morte, a ausência e o desaparecimento são os principais temas que rondam o filme tanto dramaturgicamente como na construção da atmosfera.
 
"Elon Rabin é como um sombra e a câmera é a sombra da personagem. Como o filmo de costas, ele se torna uma espécie de avatar do espectador, que é convidado a partilhar do sintoma ou sentimento que define o clima do filme: o tremor ao encontrar a morte", explica. O cineasta afirma que, em todos os seus trabalhos, busca proporcionar uma experiência diferente ao público. "Acredito em um tipo de cinema no qual o espectador é ativo frente às imagens e participa na construção narrativa. Para isso, gosto de trabalhar com lacunas e elipses, e assim propor a quem assiste que complete o sentido do filme".
 
O desejo de realizar "Tremor" surgiu de uma vontade de Alves Jr. de filmar a cidade de Belo Horizonte, combinada à inspiração que tira do ator Elon Rabin, que também atuou em seu primeiro curta, "Material Bruto" (2006). "Me interessa compor uma coreografia do ator, com atenção ao tempo de duração das ações e gestos. Em ‘Tremor’, eu me preocupo em criar uma atmosfera que não seja cotidiana para ações que são, de certa forma, cotidianas. Como pano de fundo está a cidade de Belo Horizonte, que aparece fotografada de forma muito expressiva que compõe bem o clima do filme", aponta.
 
O diretor se prepara para filmar "Elon Rabin não Acredita na Morte", seu primeiro longa-metragem. Inspirado diretamente em "Tremor", o projeto do longa foi contemplado pelo Prêmio Hubert Bals Fund de Desenvolvimento de Roteiro, além de premiado nos laboratórios de co-produção FidLab de Marseille, na França, e Buenos Aires Lab (Bal), na Argentina.
 
No Brasil, "Tremor" estreia no Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, que será realizado entre 22 e 30 de agosto. O filme também está entre os selecionados para a mostra competitiva do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e do Festival Internacional de Cinema da Bienal Internacional de Curitiba.
 
 
Ficha Técnica
 
Sinopse: Um dia na vida de um homem. Ele procura por sua mulher, ele busca respostas, ele busca por vida.
Elenco: Elon Rabin (Elon Rabin), Dr. Alexander (Alexander de Moraes), Amigo (Claudio Marcio Lima), Atendente IML (Silvana Stein) e Voz Atendente (Lira Ribas).
Direção: Ricardo Alves Jr.
Roteiro: Diego Hoefel e Ricardo Alves Jr.
Produção: Morgana Rissinger e Thiago Macêdo Correia
Direção de Fotografia: Matheus Rocha
Direção de Arte: Luana Demange
Som: Pablo Lamar