Aos 74 anos, Susana Vieira parece não perder a capacidade de surpreender. Após mais de 50 anos de carreira, a atriz, um ícone da teledramaturgia brasileira, decidiu aceitar o desafio de pisar pela primeira vez sozinha nos palcos do teatro. Interpretando uma “mulher incrível”, que “faz o que todos deveriam fazer”, nas palavras dela, Suzana cumpre duas sessões na capital mineira, no Cine Theatro Brasil, com o espetáculo “Uma Shirley Qualquer”.

“Estou enxergando isso como um encontro com o público. Fizemos um ensaio aberto e a resposta foi muito boa”, comemora Susana. “Não é fácil fazer um monólogo, você fica atenta a tudo o tempo todo, mas é muito gratificante”, acrescenta.

O convite para o trabalho partiu de Miguel Falabella, responsável pela adaptação e direção do espetáculo, com quem mantém uma relação antiga de amizade. “Eu e Miguel temos um humor muito parecido, damos risada de tudo, temos uma maneira parecida de ver a vida”. 

O espetáculo
Adaptação da clássica peça “Shirley Valentine” e escrita por Willy Russell, a montagem estreou em 1986, na Inglaterra. No Brasil, foi encenada outras duas vezes, tendo como protagonistas Renata Sorrah e Betty Faria. A trilha sonora criada durante os ensaios é assinada por Sérvulo Augusto, irmão de Susana.

Na versão de Falabella, as mudanças começaram no título da obra para criar identificação com o público, principalmente o feminino, logo de cara.

Susana acredita que é mais fácil tocar as pessoas pelo humor. “Na peça, vamos longe na comédia e quando o público percebe está emocionado com aquela mulher”

Na trama, Shirley é uma dona de casa que se pergunta o que aconteceu com sua vida. Cansada da indiferença do marido e disposta a dar uma guinada na vida, ela deixa o companheiro e os dois filhos já grandes para trás e sai numa viagem para a Grécia, presente de uma amiga. “Ela vai atrás da felicidade. Essa coragem e força todos temos ou deveríamos ter. Por isso, nos identificamos tanto com a personagem”. 

Mulher que detesta ficar na zona de conforto, Susana não é de recusar quase nada. Movimento é uma palavra de ordem em sua vida, que deve durar mais uns 30 anos, segundo suas previsões. “Eu amo a vida, quero viver até os 105 anos”. 

Memes e biografia
Toda essa energia ela deixa transparecer também nas redes sociais. Tanto que se tornou um hit na internet com vários memes envolvendo sua imagem e suas falas de humor peculiar. “Adoro as redes sociais, você fica mais perto do público e cria um canal direto com todos. Me divirto muito com as brincadeiras. Acho o máximo. As pessoas são muito criativas”.

Além do espetáculo, Susana terá sua biografia lançada no ano que vem, de autoria do especialista em teledramaturgia Mauro Alencar. 

E se sua vida fosse para as telas, ela não tem dúvida de quem escalaria para o papel: Adriana Esteves. “Tenho uma admiração enorme por ela, que tem uma liberdade no olhar e um carisma muito forte”, avaliza.

Serviço: “Uma Shirley Qualquer”, no Cine Theatro Brasil Vallourec (Praça 7 – avenida Amazonas, 315, Centro). Sexta (11) e sábado (12), às 21h. Ingressos de R$ 35 a R$ 100.