Ao longo de um ano, o escritor Antonio Lino e o fotógrafo Araquém Alcântara viajaram pelo Brasil acompanhando o trabalho de médicos e médicas em em aldeias indígenas, comunidades quilombolas, assentamentos rurais e periferias urbanas. A proposta era conhecer de perto os “brasis” encontrados por sete doutoras e cinco doutores do Programa Mais Médicos. O resultado destas viagens é o livro “Branco Vivo” (Editora Elefante), que abada de ser lançado em São Paulo.

A dupla passou por nove localidades em cinco regiões do país. Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, estava no roteiro. O roteiro contou também com as periferias de São Paulo e Manaus, pelo sertão de Sergipe e pelas aldeias xikrin, no Pará. Na maioria cubanos, os doutores e doutoras retratados no livro participaram do Mais Médicos entre 2013 e 2017.

As imagens de Araquém, um dos mais respeitados fotógrafos do país, não retratam apenas os médicos e seus atendimentos, mas também a gente simples das localidades escolhidas – como a imagem acima, um flagrante de crianças de Araçuaí.