Aos 85 anos, o agricultor chinês Ding Bingcai vestiu, pela primeira vez, um terno. Mas não qualquer um. Ele se rendeu a looks mais moderninhos, com gravatas borboletas e óculos de grife, para um ensaio fashion para o neto, o fotógrafo de moda Ding Guoliang. As fotos bombaram na internet no início deste mês, e o vovô se tornou ícone de estilo na China.

Ding Bingcai estreitou sua relação com a moda na terceira idade – mas há quem mantenha um namoro com o guarda-roupa desde a adolescência, e mesmo depois dos 80 não se descuida do visual. Caso de Ana Jesulinda Sá, ou Loza, 81. “Adoro tudo colorido. Gosto de roupas alegres, mas sem cair no ridículo”, revela ela.

Em seu guarda-roupa reinam as peças da marca Elvira Matilde, conhecida por suas estampas. “São roupas alegres, nada daquela coisa careta que encontramos para essa idade”.
Questionada se ela se produz apenas para passeios ou eventos, ela é certeira. “Estou sempre pronta. Sou muito vaidosa”, se diverte. E complementa: “Minhas netas, quando chegam aqui, sempre perguntam para onde estou indo. Mas se for na padaria, já estou arrumada”.

Cerca de 20% da carta de clientes da Elvira Matilde, aliás, é preenchida pela terceira idade, segundo a coordenadora geral da marca, Emília Pádua. “Elas procuram conforto[/TEXTO], já não querem seguir regras. E buscam algo diferente, pois o que o mercado oferece é muito rotulado”. Para Emília, é uma fase de liberdade. “O que se quer é algo que tenha humor e passe o recado de uma pessoa que esta viva”.

No closet

A consultora de moda e professora universitária Carla Mendonça endossa: “A visibilidade que essas senhoras ganharam fez com que o mercado mudasse. Se pensarmos no que existia para ‘senhoras’ há poucos anos, era tudo muito careta”, afirma.

Mas, nesse sentido, Belo Horizonte ainda está engatinhando. “Não há tantas opções, e as pessoas ainda são mais conservadoras”, frisa ela.

Sobre o que deve ou não entrar no closet de uma pessoa na terceira idade, Carla comenta: “A ideia é se divertir, sempre. Restringir não é o caminho. É possível conseguir uma super produção com uma peça curta, por exemplo”, explica ela, acrescentando que o caminho é usar a criatividade – e passar um pouco do que a pessoa é por meio de suas roupas.

Fashionistas da terceira idade ‘bombam’ nas redes sociais

Ela se autointitula uma “estrela geriátrica”, e lembra que estilo, charme e inteligência não têm idade. Essa é a designer de interiores Iris Apfel que, aos 94 anos, ainda é um dos maiores ícones da moda nova-iorquina. Tanto glamour rendeu um documentário lançado no ano passado, o “Iris, Uma Vida de Estilo”.

O filme, assinado pelo cineasta Albert Maysles (falecido em março de 2015), apresenta os principais lados da vida de Iris. Sempre acompanhada de seus grandes óculos redondos, a fashionista possui uma excêntrica forma de se vestir. Pulseiras e colares de diversos tamanhos, formas e cores são marca registrada de seus looks.

O documentário, disponível na Netflix, não mostra apenas o lado marcado pela moda, mas se aproxima da intimidade e do lado humano da personagem. É a própria Iris que narra algumas partes de sua história. Ela conta como conseguiu poupar 65 centavos para comprar um broche e a luta para adquirir um jeans quando a peça só era vendida para os homens.

Ao longo do filme, deixa claro que não concorda com os padrões de beleza impostos pela mídia e pela sociedade, o que torna o trabalho um retrato mais sentimental do que histórico. Em uma das passagens, ela aparece garimpando peças em mercados e brechós da cidade. E não hesita em pechinchar.

Vovô Fashion

Aos 72 anos, o chinês Liu Xianping ficou conhecido em todo o mundo como o “vovô fashio”n. Ele se tornou modelo e posou vestido com roupas femininas da grife de sua neta. O que era para ser uma brincadeira virou campanha publicitária de sucesso e deu a Liu uma nova profissão. Para as fotos de divulgação da marca, Liu usou perucas e roupas femininas e fez até pose de “Gangnam Style”. Os catálogos da empresa são cada vez mais compartilhados nas redes sociais da China, especialmente no site Sina Weibo, equivalente ao Twitter no Brasil.

E MAIS...

Modelo de 87 anos é requisitada por marcas como Dolce & Gabbana

Em 2014, a britânica Daphne Selfe entrou oficialmente para o Guinness World Record com o título de modelo mais antiga do mundo em atividade. Atualmente com 87 anos, ela continua requisitada pelo mundo da moda, e fez trabalhos recentes para marcas como Dolce & Gabbana, Moschino, Nivea e Gap. Em entrevista para o jornal britânico Daily Mail, a modelo revelou que não pretende parar de trabalhar, e que o segredo para a longevidade na carreira é passar longe do botox e jamais pintar os longos cabelos brancos. Ela ainda destacou que boas maneiras são indispensáveis para alcançar o sucesso

Vovós fashion inspiram documentário que está disponível no netflix

Baseado no blog de moda Advance Style, do fotógrafo Ari Seth Cohen, nasceu o documentário “Advanced Style – Vovós Fashion”. Lançado o ano passado, e disponível no Netflix, mostra a intimidade de sete mulheres extremamente estilosas, com idades entre 62 e 95 anos, que vivem em NY. Filmado ao longo de três anos, investiga as maneiras com que o estilo pessoal eclético e independente desafia as ideias convencionais sobre beleza e envelhecimento em uma sociedade obcecada pelo conceito de juventude. Um dos trechos que se destacam é quando duas das personagens posar para a campanha da Lanvin.


Assista ao trailer do documentário "Iris"