Em trabalho delicado, provocante, sem fugir ao próprio traço, o cartunista Evandro Alves alerta sobre as consequências da exploração sem controle do Cerrado. Ao mesmo tempo, recorre também ao humor para ressaltar as riquezas e potencialidades desse que é o segundo maior bioma brasileiro.

Tais contrapontos estão nas séries “Sertransgêni-cos” e “Cerrado em Quadrinhos”, em exposição a partir das 19h de hoje e até 9 de novembro na Aliança Francesa (rua Tomé de Souza, 1418, Savassi). 

“Por ser caracterizado por árvores baixas e retorcidas, muitas pessoas acham que o Cerrado é um vazio ambiental. Quis tentar desmistificar essa ideia de subcategoria atrelada ao bioma, pois ele é de extrema importância para a conservação da biodiversidade e cheio de vida”, pontua. 

A mostra é um dos desdobramentos da dissertação de mestrado do cartunista defendida em 2014 no Instituto de Geociências da UFMG. Outros frutos da pesquisa desenvolvida é a publicação do livro “Cerrado em Quadrinhos” (editora Nemo/Autêntica) e uma exposição individual no âmbito do Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) de Belo Horizonte no ano passado.

Ao todo, a série “Ser-transgênicos” contempla dez desenhos feitos a partir de técnicas como aquarela, guache e grafite. Já “Cerrado em Quadrinhos” é composta por treze painéis, sendo que cada um contém quatro tirinhas, somando 52 trabalhos do cartunista.