O ator baiano Wagner Moura foi um dos entrevistados pelo comediante americano Jimmy Fallon no programa "Tonight Show" (NBC), na madrugada deste sábado (no horário de Brasília). O brasileiro interpreta o narcotraficante colombiano Pablo Escobar na série "Narcos", da Netflix, o que lhe valeu a indicação para o Globo de Ouro de melhor ator dramático. A cerimônia ocorre neste domingo (10), em Los Angeles.

Muito descontraído, Moura brincou com sua escalação para a série. "Foi um grande caso, um dos maiores casos de erro de elenco", disse. (acompanhe parte da entrevista, em inglês, abaixo)

O humorista disse que, antes de "Narcos", não estava familiarizado com o trabalho de seu convidado, "porque não temos canais brasileiros na minha casa" e inferiu que Moura devia sempre falar espanhol, o idioma usado na produção. O sotaque do ator foi alvo de críticas, especialmente no Brasil e na Colômbia.

Moura negou, rindo. Disse que pensou que os responsáveis pela série deviam estar "malucos" quando o escolheram. "Eu estava supermagro, com 40 pounds [18 quilos] a menos, e não falava uma palavra em espanhol", contou. Moura afirmou que a ideia inicial era fazer a série em inglês.

Jimmy Fallon zombou e disse que Escobar era uma "pessoa real". "Você tem que parecer o cara. Você não pode agir tipo 'Oi, sou Pablo Escobar. Tudo bem? Você tem cocaína?'", interpretou, em tom afetado.  

Ao ser convidado pela Netflix para dirigir "Narcos", o carioca José Padilha exigiu Moura como protagonista, repetindo a parceria de "Tropa de Elite" 1 e 2.

Fallon elogiou a atuação de Moura -"incrível", "tão boa", "claro que seria nomeado ao Globo de Ouro".  

O comediante perguntou se Moura morava no Brasil. Ao responder que sim, no Rio, pessoas na plateia o saudaram. "A gente só permite dois brasileiros por show", disse o apresentador. "Você sabe, estamos nos preparando para a Olimpíada."

No Brasil, o programa de Jimmy Fallon com Moura será exibido, pelo canal a cabo GNT, na madrugada de 16 de janeiro, à 1h.

(Com Agências)