É fato que a música brasileira contemporânea conta com uma inspirada safra de instrumentistas, espalhados por todo país. Fazendo jus à sua tradição de excelência musical, Minas Gerais abriga alguns desses jovens talentos. É o caso de Frederico Heliodoro, que já carrega na bagagem cinco discos autorais e prepara um novo lançamento para 2018. Contrabaixista, guitarrista, compositor e produtor musical, ele se apresenta na quinta-feira (14), no Idea Casa de Cultura.

Aos 30 anos, Heliodoro já acumula uma vasta experiência como músico. Filho do guitarrista Affonsinho, começou a estudar contrabaixo aos nove anos e, aos 11, já se apresentava ao vivo. Formado em Música Popular pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), já tocou com artistas internacionais como Mike Moreno, David Binney e Sarah Harmer, e junto a brasileiros como Benjamim Taubkin, Leo Gandelman, Toninho Horta e Márcio Bahia. Como baixista e produtor, participou da gravação de mais de 30 discos.

Intimista, o show solo desta quinta evidencia a trajetória autoral de Heliodoro. “Já faz um tempo que eu queria tocar minhas músicas sozinho, num espaço aconchegante”, afirma. “Metade do show provavelmente, será de músicas do meu álbum mais recente, ‘Acordar’, de 2015. A outra metade, de canções inéditas, que eu venho compondo há algum tempo e que devem entrar no meu próximo trabalho”, completa. 

Atualmente, o mineiro é baixista do grupo do renomado guitarrista americano Kurt Rosenwinkel, com quem tem excursionado pelo mundo todo. No Brasil, ele tem trabalhado com outros talentosos instrumentistas de sua geração, como o brasiliense Pedro Martins e os conterrâneos Antônio Loureiro, Felipe Continentino e Fred Selva. “Eu tenho muita sorte de ter conhecido esses caras. Na minha opinião, são os melhores músicos do Brasil. É uma geração muito sortuda”, ressalta Heliodoro. “Todas essas influências, do meu pai aos meus amigos, são refletidas nitidamente no meu som. Eles me inspiram muito a criar uma obra consistente, que ‘levante a bola’ da música mineira”, ressalta.

Heliodoro conta que o novo álbum, que deve sair neste ano, mistura, ainda, influências nacionais e estrangeiras. “Tenho escutado com muita atenção o ‘Clube da Esquina 2’e outros discos de Lô Borges, Beto Guedes e Tavinho Moura. Também tem me afetado bastante a carga instrumental de Wayne Shorter e do Weather Report, apesar de ser um disco de canções”, revela, citando também influências modernas do universo pop como Mac De Marco e Justin Vernon. “O disco traz composições que representam a soma dessas referências que têm me influenciado”, finaliza.

Serviço: O show de Frederico Heliodoro acontece nesta quinta-feira (14), às 20h30, no Idea Casa de Cultura (Rua Bernardo Guimarães, 1.200– Funcionários). Os ingressos custam R$ 20.