Criadora do Circuito Gastronômico de Favelas, Danusa Carvalho troca, sem pensar duas vezes, o “pode” pelo “deve” quando o assunto é conhecer, a partir deste domingo, um tipo de culinária antes restrita aos moradores de comunidades como Alto Vera Cruz, Serra, Jardim e Morro das Pedras.
“Já tivemos festivais em butecos das zonas sul e norte,, todos no asfalto... Mas buteco dentro da favela, esse é o primeiro. A gente deve ir, para entender mais aquele mundo e ajudá-lo a se tornar um pouco melhor. É hora de subir à favela”, observa.


Danusa salienta que experiências como essa foram feitas antes de maneira pontual, “não como uma feira ou circuito”. Um estímulo foi perceber que a gastronomia do país vive momento de alta, mas de forma seletiva, com preços ainda pouco saborosos para quem não pode gastar muito.


“Tudo é muito caro. Os chefs são pessoas formadas e renomadas. Mas com eles estão, naturalmente, seus ajudantes, que sabem de tudo tanto quanto eles. Normalmente ficam na periferia, servindo à sociedade como um todo. Com o Circuito, têm a chance de serem protagonistas de suas invenções”, salienta.


Mais barato e saboroso
É o caso de nomes como Diones Ferreira da Silva, conhecido por um pastel – o Trem de Minas – que leva carne seca, torresmo e couve. Ele estará presente na primeira etapa do Circuito, neste domingo, na Vila São Vicente, em Contagem. Lá estarão ainda o frango com pó de quiabo de Dona Amélia e a costelinha com ora-pró-nobis do Fundo do Bar.


Danusa garante que a diferença não está apenas no bolso: “Um prato de R$ 70 pode sair a R$ 10, sendo até mais saboroso”, destaca a coordenadora, lembrando que a busca por produtos mais alternativos nos conduz a temperos “que nem sonhamos que existem”, em alguns casos plantados na horta de casa.


Após a Vila São Vicente, o Circuito passará por diferentes comunidades a cada fim de semana. No Alto Vera Cruz, na zona Leste de BH, estará no dia 13. Já em 16 e 17 de setembro, haverá a confraternização de despedida, na Praça da Estação, comemorando um primeiro passo dado na geração de emprego e na identidade gastronômica. 


Circuito Gastronômico de Favelas – Datas e locais no site circuitogastronomicodefavelas.com