Minha avó é meu tesouro, de onde vem toda a riqueza de sentimentos bons que aprendi, a alegria de viver de cada dia, o sorriso e o abraço doados a cada momento que me aproximo dela, mesmo sem eu pedir”, conta Júlia, uma garota apaixonada pela avó, uma senhora que vive com os pensamentos distantes e que gosta de inventar vocábulos. 

Em “VóVó InVenta PalaVras” (Páginas Editora), a escritora e blogueira Rosa Maria Miguel Fontes e o ilustrador Maurízio Manzo tratam com sutileza e delicadeza a relação cheia de amor e criatividade entre os netos e a avó, que sofre de demência.

A personagem Júlia e o primo Leo aprendem, com a avó, a essa altura já “esquecidinha”, a criar palavras “quando as já existentes não são suficientes para o entendimento”. 

A busca da menina pela companhia da figura distante em seus pensamentos mostra o poder das palavras e abre espaço para novas possibilidades e descobertas.

Reencontro

Sob a visão dos netos, a autora narra a trajetória da garota que, para manter a amizade com a avó, esforça-se para encontrá-la no distante mundo onde parecem viver seus pensamentos.

A esperta Julinha percebe que para manter a amizade da avó basta deixá-la ser criança novamente. Nesse ponto a relação entre ambas volta se transformar, ganhando novos contornos, o que, de certo modo, torna mais fácil a despedida, anos mais tarde, quando a avó tão querida passa a viver junto do avô no “povoado dos anjos”.

A vovó se vai, mas as lembranças, felizmente, ficam. Foram bem plantadas no coração da menina.