Assuntos em voga na sociedade – como inclusão social, acessibilidade, feminismo e representatividade de mulheres negras – dão o tom do primeiro livro organizado pelo coletivo de artistas mineiras ZiNas. “Vida, Quadrinhos e Relatos” será lançado hoje, às 19h, no Sesc Palladium (av. Augusto de Lima, 420).

A obra é fruto de oficinas gratuitas de artes visuais ministradas no segundo semestre de 2016. “A ideia era as pessoas expressarem as próprias histórias por meio da arte. Voltamos o curso para pessoas que nem sempre têm acesso a esses canais. E com grande foco em inclusão”, diz a quadrinista e arte-educadora do projeto, Aline Lemos.

O curso ocorreu em diferentes locais da cidade, como o Centro Cultural Padre Eustáquio. O material resultante das aulas foi parar no livro. A obra contempla as mais variadas técnicas como quadrinhos, fanzines, cartazes, gravuras, ilustrações e pintura. “O nosso desejo é que esse livro incite discussões sobre a democratização da arte”, afirma a artista. 

Para Aline, ver o resultado em um livro é estimulante para os alunos. “As pessoas nem sempre estão acostumadas a ver a arte como um produto. E com o livro eles podem ver o resultado de seu esforço”, argumenta. 

A publicação também traz obras de cada uma das integrantes do coletivo ZiNas e textos de convidados para reverberar as temáticas, como o professor de Libras e arte-educador Hélio Alves, que falou sobre a acessibilidade a partir de sua própria experiência. 

Já a professora e socióloga Avelin Buniacá Kambiwá escreveu sobre representatividade e visibilidade das mulheres indígenas. E o artista visual Ed Marte fecha a obra com um poema sobre o corpo e a cidade. “A maioria dos convidados participou das oficinas, como a quadrinista Laura Athayde. É uma forma de ampliar e enriquecer o debate”, analisa.

Reflexões propostas
O livro propõe reflexões sobre preconceito, opressão, resistência, acessibilidade para surdos, e também um panorama da produção independente em Belo Horizonte. “São assuntos que sempre inspiraram a atuação do coletivo ZiNas e nossos fanzines”, justifica Aline, que ao lado das demais integrantes do coletivo Ana Schirmer, Carol Cunha, Carol Rossetti, Day Lima e Priscapae comemoram três anos dessa união.

Nesse tempo, as garotas já lançaram vários fanzines independentes e participaram de feiras, debates, festivais e outros eventos de produção gráfica. “Como um coletivo conseguimos ter mais visibilidade e estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Nesses anos, vimos um crescimento da cena independente de arte. Temos mais feiras, eventos e coletivos”, comemora.

Metade da tiragem de dois mil exemplares do livro “Vidas, Quadrinhos e Relatos” foi distribuída gratuitamente para instituições públicas. “O valor dos exemplares à venda será revertido para os alunos”.