A vida de Aleister Crowley (1875-1947), o ocultista e escritor inglês, influente sobre nomes fundamentais da cultura pop do século 20, é agora recontada na biografia em quadrinhos Aleister Crowley, de Martin Hayes e RH Stewart, publicada pela Veneta em parceria com o selo Chave. Ao mesmo tempo, a parceria coloca nas livrarias uma nova edição de O Livro da Lei, espécie de manual profético da filosofia de Crowley, que estabelece seu famoso princípio: "Faze o que tu queres há de ser o todo da Lei".

O célebre mago teve uma vida de contornos épicos: viajou o mundo e explorou terras exóticas da China ao México, teve relações mais ou menos conturbadas com W.B. Yeats, Somerset Maugham, Fernando Pessoa e Auguste Rodin, foi poeta e ensaísta, alpinista de excursões ao Himalaia, ocultista praticante e líder de sociedades secretas, profeta, famoso experimentador de drogas e criador de dramas sexuais célebres - não por acaso, favorito dos tabloides ingleses da época.

Para o escritor e especialista em ocultismo Richard Kaczynski, "a história em quadrinhos é talvez o único meio que pode fazer justiça a essa jornada fantástica".

"Uma diferença marcante que separa os quadrinhos de qualquer outro meio é que, enquanto estes são vistos sequencialmente, uma composição de página em quadrinhos deve ser absorvida de uma vez só", explica o artista britânico RH Stewart, autor dos desenhos. "A interação espacial entre sequencial e simultâneo dá ao quadrinho uma hierarquia dupla, como de um rizoma rasteiro, mas que também pode ser visto como uma única imagem, como uma grande árvore parasita. Esse mundo é impossível de reproduzir em qualquer outro meio."
Embora algumas páginas do livro obedeçam ao esquema sequencial tradicional, muitas de fato aparecem apenas com desenhos, sem separações.

Com o rótulo de "ficção baseada em fatos reais", o livro apresenta Crowley contando sua história para um escritor fictício que lhe procura no fim da vida. Entre os diversos episódios explorados no livro, estão a briga que Crowley teve com Yeats sobre uma de suas sociedades secretas; de quando ele entra na Grande Pirâmide do Egito e faz um ritual sexual para impressionar a noiva; ou quando, tempos mais tarde, ele envolve um cabrito em outro ritual, embora essa história específica seja, mais do que muitas outras, deveras obscura.

A influência das histórias e dos escritos de Crowley é enorme no campo do ocultismo ocidental, mas também na cultura pop, especialmente a britânica. Diversos escritores o transformaram em personagem, como John Buchan e Dennis Whatley e, curiosamente, no Brasil, Joca Reiners Terron também usou Crowley como personagem no seu primeiro livro, Não Há Nada Lá (2001). "Eu conhecia e admirava o episódio do encontro dele com Fernando Pessoa em Cascais (na época, Crowley era uma celebridade, e Pessoa um zé-ninguém que surpreendeu o mago com um mapa astral enviado por carta)", relembra o escritor.

Mas a principal influência do bruxo na cultura brasileira foi na formação da Sociedade Alternativa, a utopia de Paulo Coelho e Raul Seixas. A música de mesmo nome de 74 cita nominalmente o "mandamento" de Crowley: "Faça o que tu queres pois é tudo da lei". Numa entrevista recente ao jornal O Estado de S. Paulo, Coelho diz se lembrar da época como um período difícil, que lhe traz más lembranças.

Jorge Mautner, por exemplo, também não tem Crowley na mais alta conta. "O Crowley era nazista", diz o músico num papo por telefone. "Raul Seixas e Paulo Coelho fazem o contrário do nazismo na sociedade alternativa, esse é mais um milagre da brasilificação." Questionado se O Demiurgo, seu filme de 1970, tem alguma influência de Crowley, ele nega. "Não, é Kaos Total. Não tem nada. É o rebotalho de mistura. O nacional-socialismo é uma religião. É tudo baseado na emoção do culto aos que morreram. O Führer dizia: as leis acabaram, é preciso interpretar o desejo do Führer. Já havia simultaneidades. Isso tudo era um teatro. Crowley era um proto-nazista por isso."

ALEISTER CROWLEY
Autores: Martin Hayes e RH Stewart
Trad.: Marina Della Valle
Editora: Veneta / Chave (160 p., R$ 59,90)

O LIVRO DA LEI
Autor: Aleister Crowley
Trad.: Marina Della Valle
Ed.: Veneta / Chave (208 p., R$ 49,90)