Desde que a Netflix conquistou os fãs de TV e cinema brasileiros, as “maratonas” passaram a fazer parte do cotidiano de muita gente. Quem nunca disse “vou assistir só mais um episódio” e acabou dedicando várias horas de um fim de semana a uma série viciante?

No catálogo da plataforma de conteúdo audiovisual, há dezenas de séries, mas algumas acabaram ganhando uma atenção bem maior por parte do público. Confira quais são as séries mais imperdíveis e viciantes da Netflix e se prepare para mergulhar em novas “maratonas”:

Stranger Things

Impossível não se apaixonar por essa série que mistura os gêneros ficção científica, terror e aventura. Como a série se passa nos anos 80 e faz várias referências à época, vai agradar em cheio quem sente nostalgia sobre títulos como “Conta Comigo”, “E.T.” e “Os Goonies”. Na trama, um garoto desaparece numa pequena cidade americana e seus quatro amigos vão fazer de tudo para encontrá-lo. A segunda temporada chega no dia 27 de outubro.

 

Sense 8

Quando a Netflix anunciou o cancelamento de “Sense 8”, uma das séries mais caras da plataforma, fãs do mundo inteiro se manifestaram. Isso porque “Sense 8” é realmente muito cativante, especialmente entre pessoas que buscam produções que buscam divulgar uma maior liberdade comportamental. Na trama, oito pessoas de diferentes países são ligadas sensorialmente, entre elas, um ator mexicano gay e uma hacker transexual. Ah! Não haverá terceira temporada, mas a Netflix prometeu um filme de duas horas para dar um ponto final à história.

 

Breaking Bad

Uma das séries mais premiadas da história da TV americana por ter um roteiro único. Aqui, acompanhamos a trajetória de um vilão. Mas não como em “Dexter” ou “House of Cards”, em que os protagonistas se mostram detestáveis desde o primeiro episódio. Em “Breaking Bad”, Walter White é um professor de química que descobre ter câncer de pulmão e decide produzir metanfetamina para pagar pelo tratamento. Na primeira temporada, é impossível não se comover e torcer por ele. Mas o personagem se transforma a cada episódio.

 

Orphan Black

Melhor pedida para quem gosta de ação e ficção cientifíca. A série canadense tem um ritmo acelerado e pequenos detalhes fazem toda a diferença na compreensão da trama. Mas o melhor de tudo é acompanhar o trabalho da atriz Tatiana Maslany, que interpreta várias personagens ao longo das cinco temporadas. Na trama, a britânica Sarah Manning assume a identidade de uma mulher idêntica a ela e acaba descobrindo que é uma de várias clones espalhadas pelo mundo.

 

Narcos

Se ainda não assistiu a “Narcos”, esqueça aquele papo sobre o espanhol mal falado de Wagner Moura. O ator arrasa como Pablo Escobar. A série mostra bem como se dá a estrutura do narcotráfico na Colômbia e como foi a ascensão e a derrocada do mais famoso traficante de drogas de todos os tempos. E a novíssima terceira temporada, com foco está sobre o Cartel de Cali, tem sido muito elogiada.

 

Os Defensores

A novíssima série “Os Defensores”, que entrou no catálogo da Netflix em agosto, já pode entrar para a lista das séries viciantes. Isso porque quem acompanhou as outras séries relacionadas – estreladas pelos personagens Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro e Demolidor – já fez questão de assistir ao novo seriado e ver se a Netflix construiu um material que faz jus à história da Marvel. Mas é preciso avisar: muita gente criticou a construção do personagem Punho de Ferro.

 

13 Reasons Why

A polêmica em torno da série fez muita gente correr para assisti-la. Trata-se de um seriado adolescente, mas com uma temática e uma abordagem bastante adulta. A produção nos apresenta Hannah Baker, uma adolescente que grava 13 lados de fitas-cassete antes de se matar. Cada lado de uma fita é dedicado às pessoas que ela responsabiliza pelo suicídio. Cada episódio da série apresenta uma das gravações. Essa abordagem sobre o suicídio causou muita discussão mundo afora. E antes de julgar Hannah, é preciso ouvir todas as fitas, ok?

 

Black Mirror

Aqui tem ficção científica, ação, suspense, terror, comédia... O mesmo seriado consegue trafegar pelas mais diferentes linguagens cinematográficas ao tratar um mesmo assunto: as consequências imprevistas das novas tecnologias. Os episódios são autônomos, mas a produção é tão boa que não se ver preso a uma maratona. Prepare-se para olhar o mundo de forma diferente, em especial sobre a sua relação com as tecnologias e inovações.

 

Vikings

Quem não tem cão caça com gato. Na Netflix, não tem “Game of Thrones”, mas tem boas opções para quem gosta de séries de aventura cheias de lutas, assassinatos e conspirações. Baseada em fatos reais, “Vikings” conta com quatro temporadas e mostra como o Ragnar e os súditos nórdicos conseguiram fazer várias conquistas em diferentes regiões da Europa do século 13.

 

House of Cards

Depois de tantos escândalos e viradas políticas no Brasil desde 2014, “House of Cards” acabou se incorporando à cultura tupiniquim. Mesmo quem nunca viu a série, sabe quem é Frank Underwood, o político sem escrúpulos vivido pelo vencedor do Oscar Kevin Spacey. O seriado mostra claramente todos os podres que rondam o Congresso e a Casa Branca nos Estados Unidos – mas é facinho, facinho fazer uma ponte com o que rola na política brasileira.

Leia mais:
Terceira temporada de Narcos tem menos cenas de violência e ação
Estudo é prioridade para Millie Bobby Brown, a 'Eleven' de Stranger Things
'Narcos', 'Grey's Anatomy' e 'Star Trek': veja as estreias de setembro da Netflix