Já pensou em assistir um concerto de jazz no teatro mais antigo em funcionamento das Américas? E ouvir adaptações das obras de Bach para viola caipira numa igreja de arquitetura barroca? Em um rápido passeio neste fim de semana, será possível desfrutar de atrações como essas e, de quebra, curtir duas das mais importantes cidades históricas de Minas. Até este domingo (9), Ouro Preto e Tiradentes são palcos do Circuito MIMO – considerado o maior festival gratuito de música instrumental do Brasil. 

O colombiano Edmar Castañeda vem pela primeira vez ao Brasil e só fará apresentações em Minas. “Castañeda é um dos maiores nomes da atualidade. Se apoderou da harpa, um instrumento raro e tradicionalmente ligado à orquestra, e trouxe-a para o universo instrumental e do jazz É um trabalho que deve ser reconhecido”, afirma a diretora do MIMO, Lu Araújo. 

Outro destaque é o Dakhabrakha, da Ucrânia. Expoente da nova música do Leste Europeu, o grupo tem folk music como estilo. “Eles são totalmente de vanguarda; vêm participando de grandes festivais no mundo. É um dos meus shows favoritos desta edição”, emenda a diretora do festival. 

GUANDUO – Os mineiros vão apresentar no MIMO o recém-lançado CD “Inventos”
GUANDUO – Os mineiros vão apresentar no MIMO o recém-lançado CD “Inventos”

Na boa lista de atrações nacionais está o duo de violões “Guanduo”, formado pelos instrumentistas e compositores mineiros Eduardo Pinheiro e Juliano Camara. A dupla é vencedora do XV Prêmio BDMG Instrumental e finalista do Festival Assad. 

Do Rio, vem a Orquestra Sinfônica Cesgranrio, e, de São Paulo, o violeiro, compositor e pesquisador Vinicius Muniz. A programação conta ainda com Fortuna, cantora brasileira de origem judaica. “Fortuna está fazendo uma pesquisa de sonoridade de peças de seus ancestrais. Não temos outro trabalho como o dela aqui”, considera a diretora do festival.

EDMAR CASTAÑEDA – O colombiano consegue extrair da harpa sons distintos em cada mão
EDMAR CASTAÑEDA – O colombiano consegue extrair da harpa sons distintos em cada mão

Crise
Essa é a segunda vez que Ouro Preto e Tiradentes recebem a versão de circuito do MIMO. Por esse motivo, atrações de cinema e atividades educativas, como já ocorreram anteriormente, ficaram de fora da programação. De acordo Lu, não foi possível manter o formato de festival nas cidades devido à "crise que tomou o país”. “O MIMO é totalmente de graça e, por isso, é fundamental ter o apoio dos municípios e de empresas privadas, o que não tivemos neste ano”, explica. “Fomos obrigados a diminuir o evento em Minas, mas não em qualidade artística e sim em quantidade. A programação continua de alto nível e vale muito ir conferi-la”, completa.

José Staneck (gaita) é convidado especial da Orquestra Sinfônica Cesgranrio
José Staneck (gaita) é convidado especial da Orquestra Sinfônica Cesgranrio

PROGRAMAÇÃO

OURO PRETO

Sábado (8/10)
- Guanduo, na Casa da Ópera, às 18h
- Edmar Castañeda, na Igreja de São Francisco de Assis, às 19h
- Dakhabrakha, na Casa da Ópera, às 21h30

Domingo (9/10)
- Orquestra Sinfônica Cesgranrio, com a participação de José Staneck (gaita), na Casa da Ópera, às 11h30

TIRADENTES
Sábado (8/10)
- Vinicius Muniz, na Igreja de Nª Sª do Rosário, às 18h
- Fortuna, no Sesi - Centro Cultural Yves Alves, às 20h

VINICIUS MUNIZ– Ele adaptou obras de Bach à viola caipira

VINICIUS MUNIZ– Ele adaptou obras de Bach à viola caipira