Nelson Motta lança nesta terça (25), no Guaja Casa, o livro “101 Canções que Tocaram o Brasil” (Sextante), um compilado das composições que, de acordo com o autor, se destacaram no universo musical brasileiro.

Autor de mais de 300 canções e inúmeras parcerias, Motta possui um envolvimento com a música que se confunde com a história da própria MPB. Escritor, produtor, jornalista e conhecedor apurado de todos os ritmos e sonoridades, ele resenha, neste livro, canções importantíssimas de autores como Tom Jobim, Roberto Carlos, Raul Seixas, Caetano Veloso e Tim Maia.

Entre os detalhes preciosos que o livro traz estão:

- Em 1899, ano em que compôs "Ó abre alas", Chiquinha Gonzaga abriu alas em sua vida para um novo amor: com 52 anos, passou a viver com um jovem de 16 anos, aprendiz de música, que foi seu companheiro até sua morte, em 1935;

- Ao compor "Detalhes" – apesar de ter consciência de que acabara de criar um clássico –Roberto Carlos implicou com a palavra "ronco" (O ronco barulhento do seu carro; A velha calça, desbotada ou coisa assim) por sua sonoridade bruta e possíveis outros sentidos pouco poéticos. Até entrar no estúdio, Roberto consultou diversos amigos, mas como ninguém estranhou, o ronco ficou;

- Com sua letra que retrata a luta e a esperança cotidiana do povo, o samba "Deixa a vida me levar", de Serginho Meriti e Eri do Cais, se tornou um estrondoso sucesso na voz de Zeca Pagodinho. O refrão tomou conta do país e entrou na história como hino do pentacampeonato da Seleção brasileira no Japão, em 2002;

- Herbert Vianna compôs "Lanterna dos afogados" em 10 minutos, enquanto andava de moto com a namorada. A música é inspirada em um bar citado no romance Jubiabá, de Jorge Amado.

Serviço: Lançamento do livro “101 Canções que Tocaram o Brasil”, de Nelson Motta, no Guaja Casa (av. Afonso Pena 2881, Funcionários), terça (25), às 19h30. Entrada franca