Viciada em antidepressivos, Branca de Neve está em crise, incomodada com a pecha de antiquada e tentando abraçar o discurso feminista de hoje. A personagem saída dos contos de fada é o maior exemplo de que a nova versão de “5 X Comédia”, um dos marcos do humor teatral no país, em cartaz amanhã e domingo no Sesc Palladium, não se acomodou nos louros do passado.

O formato até pode ser o mesmo de quando a peça estreou em 1993, com cinco atores protagonizando divertidos esquetes, mas é a “troca de atores e textos” que dá vitalidade ao trabalho, segundo Debora Lamm, atriz que vive as inquietações de Branca de Neve no palco. “Além de ser engraçada, a comédia precisa dialogar com o seu tempo. Se deixa de olhar para o mundo, envelhece”, assinala.

A turma
Outra cartada que se mostrou certeira é a ideia de “turma”, preservada na escolha do elenco ao longo das várias versões criadas. “Quando a gente gosta de estar junto é melhor, pois numa peça a gente passa muito tempo ao lado dessas pessoas”, observa Debora, que tem como companheiros velhos conhecidos – Bruno Mazzeo, Fabiula Nascimento, Luis Miranda e Thalita Carauta.

Com Mazzeo, em especial, é uma parceria que já dura mais dez anos, desde quando trabalharam na série televisiva “Cilada”. “De lá para cá, não paramos de trabalhar juntos. A gente se admira pra caramba. Ele é um visionário que inaugurou a dramaturgia na TV a cabo”, registra. Ao lado dele, por sinal, ela participou do filme “Chocante”, exibido nos cinemas recentemente.

Como as atrizes que já participaram da peça, entre elas Andréa Beltrão e Cláudia Raia, Debora não se considera uma humorista apenas. “O comediante deve ter um olhar atento, mas não é algo que o impede de navegar outros mares”, ressalta a atriz, que em março de 2018 estará em BH para a apresentação de “Mata Teu Pai”, monólogo dirigido pela mineira Grace Passô.


Serviço – “5xComédia” no Sesc Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1046 –Centro). Sábado, às 21h, e domingo, às 19h. Ingressos: entre R$ 50 e R$ 100 a inteira.