O circuito cultural mais famoso de Belo Horizonte vai ganhar mais um reforço ainda neste ano: a Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais. O equipamento, que funcionará como museu, ocupará o antigo prédio da Secretaria de Viação e Obras Públicas, na Praça da Liberdade, fechado há cinco anos. O edifício voltará a ser sede do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG), além de exibir exposições sobre a cultura mineira.

“A Casa do Patrimônio vai representar um lugar de convergência. O objetivo é a construção de um grande espaço de articulações voltado para os municípios mineiros. Queremos um diálogo do Circuito Liberdade com todas as regiões do Estado”, afirmou a presidente do Iepha-MG, Michele Arroyo.

Restauração e preparação do espaço fazem parte das reformas do Circuito, anunciadas na última semana, com conclusão prevista para novembro. Serão feitas intervenções na vegetação, na iluminação, nos monumentos e no piso da pista de caminhada da Praça da Liberdade.

Já o prédio da antiga secretaria passará por obras de revitalização interna e externa. A fachada será pintada, assim como as de outros dois edifícios do circuito: o Arquivo Público e o Museu Mineiro. Os muros e os gradis do Palácio da Liberdade e o Coreto da Praça também receberão nova pintura, resultado de parceria público-privada no programa denominado “Tudo de Cor”.

As mudanças ainda tornarão as duas edificações da Biblioteca Pública Estadual acessíveis a pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida. As redes elétrica, de água e esgoto e o sistema de ar-condicionado serão modernizados. As intervenções no local custarão R$ 5 milhões e têm início programado para setembro.

Praça da Liberdade

Atualmente, Praça da Liberdade está fechada para a circulação do público

Estrutura

Os dois primeiros pisos do novo museu serão destinados a mostras sobre o patrimônio imaterial de Minas, como a viola, as folias e práticas de comunidades tradicionais. Os espaços ainda terão exposições curtas, itinerantes, e um ateliê de restauração aberto ao público.

“Vamos trazer para a população um laboratório de técnicas construtivas mineiras. Então, as pessoas saberão como é feita a calçada portuguesa ou a montagem de telhados tradicionais”, explica Michele Arroyo. A reserva técnica do órgão e o acervo documental também serão abertos.

A infraestrutura elétrica, o piso e as estruturas originais do espaço serão recuperados. O local, inclusive, passará por reformas para se adequar às normas do Corpo de Bombeiros. As obras estão orçadas em R$ 1,5 milhão.

Próximos passos da revitalização incluem mais edifícios

O Palácio da Liberdade, hoje fechado ao público, deve voltar a receber a comunidade neste segundo semestre, de acordo com a presidente do Iepha-MG, Michele Arroyo, responsável por administrar o circuito cultural. Em um primeiro momento, a visitação será aberta somente para escolas, por meio de ações educativas.

“Como estamos em período de restrição por causa das eleições para o Governo de Minas, adotamos essa medida. Mas, passado esse momento, vamos abrir visitas para toda a comunidade”, explica Arroyo.

Ainda falta

Apesar de todas as reformas previstas, o Circuito Liberdade não estará completo, na visão do secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo. A incorporação do edifício de arquitetura modernista do Departamento de Trânsito (Detran-MG), na avenida João Pinheiro, e do conjunto do Palacete Dantas e do Solar Narbona, na avenida Cristóvão Colombo, ainda não saíram do papel.

“Nós não conseguimos os recursos suficientes para restaurá-los. Eles foram abandonados quando se inaugurou a Cidade Administrativa, e um prédio fechado se deteriora de um dia para o outro. Recuperá-los agora e ter recursos para isso é uma tarefa muito difícil, um desafio que temos enfrentado”, afirma Oswaldo.

Imagens de como ficará o Circuito Liberdade foram divulgadas pela Secretaria de Cultura e pelo Iepha-MG:

Coreto da Praça da Liberdade
Praça da Liberdade - projeção da revitalização
Arquivo Público Mineiro