Ser artista no Brasil não é fácil e ficou ainda mais complicado após a crise econômica – diminuindo o investimento público e privado no setor. Mas nos momentos mais difíceis é que surgem as ideias mais criativas para resolver problemas vivenciados pela categoria. Entre as novidades está o desenvolvimento de aplicativos que trazem benefícios de quem trabalha no universo cultural.

Um dos lançamentos foi feito na semana passada na capital mineira. Está disponível gratuitamente nas versões IOS, Android ou Windows Phone o aplicativo Cena Autoral, que pretende reunir em um só espaço informações que interessem a consumidores de música e profissionais da área.

Quem se interessa por shows autorais, poderá encontrar a programação em diferentes cidades brasileiras. Já os músicos poderão cadastrar suas agendas e encontrar informações preciosas para expandir o trabalho. “Cada artista tem um perfil, com nome, foto, descrição e links para os vários canais e redes sociais. Em um só ambiente, estarão os links para Youtube, Spotify, Facebook, entre outros, com dados que podem atrair a atenção de fãs e contratantes”, conta o músico e designer Gedeon Antunes, criador da plataforma.

Nacional

Embora tenha iniciado com informações sobre artistas de Belo Horizonte, há uma pretensão de que o aplicativo tenha abrangência nacional. Os dados inseridos ali vão ajudar aqueles artistas que pretendem circular pelo país.

“Estamos catalogando casas de show que recebem artistas autorais. Já temos 400 de todos os Estados do país. Mas vai além. Se eu for fazer um show em Curitiba, por exemplo, vou precisar de técnicos de som e assessoria de imprensa de lá. Esses dados estão no aplicativo, que tem um ambiente dedicado aos profissionais do mercado”, explica Gedeon, acrescentando que a iniciativa não tem fins lucrativos e não cobra nada dos usuários.

Indicações

Outra iniciativa vem sendo formulada em Belo Horizonte para fomentar a produção musical da cidade. Em processo de desenvolvimento, o aplicativo do Indicaí pretende funcionar como uma biblioteca de indicações que estimularão a música autoral e gerarão pautas para o site do projeto, que será relançado com novo domínio.

A ideia é que artistas criem perfis para serem indicados, enquanto usuários usem as suas contas para indicar os artistas que mais admiram. “Um usuário cria um perfil, e na sua biblioteca pessoal estão todas as músicas que ele indica. Além disso, a função de 'indicar para' será disponibilizada para que um usuário possa encaminhar uma dica diretamente para uma pessoa ou um grupo de pessoas específico”, explica Gabriel Peixoto, um dos criadores da plataforma que tem sido construída de forma colaborativa.

Artes visuais

No ano passado, foi lançado o Emerge, uma plataforma web criada para facilitar a vida de profissionais das artes visuais. Lá, os usuários encontram informações importantes sobre fomento – como editais e concursos – e podem se relacionar com outros artistas. A intenção é que o trabalho cresça para, no ano que vem, ser ampliado para um aplicativo.

“Temos ferramentas que ajudam a carreira do artista a ficar mais dinâmica, permitindo que as pessoas possam compartilhar informações e abrir discussões sobre prêmios e editais”, explica o fotógrafo Wenderson Fernandes, criador do Emerge.

Segundo ele, como o site vem reunindo informações relacionadas à produção de artes visuais de todo o Brasil, o projeto tem se tornado uma grande base de dados sobre a área na contemporaneidade. O próximo passo da plataforma é começar a oferecer alguns serviços exclusivos pagos – além daqueles já oferecidos gratuitamente no site – para que a iniciativa se torne sustentável.