Um canto cheio de teatro. Assim a atriz Mariana Arruda define o espetáculo “Francisco”, onde faz um mergulho na obra de Chico Buarque através de canções que versam a lábia masculina das composições do carioca e exploram as várias facetas do amor.

Estudiosa e admiradora confessa da obra do músico, Arruda conta que a ideia para o espetáculo surgiu quando ela quis explorar o eu-lírico masculino das composições de Buarque. “O feminino já é tão explorado que costumam dizer que ele tem uma alma feminina”, diz ela, destacando a subversão desta “ordem natural”. “O espetáculo seria o oposto do que ele faz: uma voz feminina cantando esse eu-lírico masculino”, pontua.

Apresentando as nuances do amor musicadas por Chico, e também sua paixão pelo samba e pelo teatro, o show traz canções como “Suburbano Coração”, “De Todas as Maneiras”, “Flor da Idade”, além de clássicos como “Quem te Viu Quem te Vê”, “Noite dos Mascarados” e “Feijoada Completa”.

Apesar de toda a musicalidade que permeia a apresentação, a artista destaca o caráter cênico de “Francisco”. “Em cada canção, criamos uma atmosfera bem específica”, explica. “É como um passeio que começa em um cabaré em Paris e termina no carnaval brasileiro”.

Memória Afetiva

“Meu caso com o Chico é antigo”, brinca Arruda. Ela conta que a relação com a obra de Buarque vem desde à infância– não por acaso, a apresentação surge repleta de memórias pessoais e afetivas da artista.

Ao lado do marido, Leonardo Rocha, ela canta “Dueto”. “Em nosso casamento, fizemos nossos votos com essa música”. A mãe de Arruda – que lhe ensinou a cantar – também sobe ao palco. “É um momento super emocionante. Cantamos ‘A Noiva da Cidade’, que é uma canção de ninar”, conta a artista.

Serviço: “Francisco”, amanhã, às 21h, no Sesc Palladium (Av. Augusto de Lima, 420 – Centro). Ingressos : R$ 11.