“O teatro é uma grande metáfora da sociedade”, reflete o ator, diretor e dramaturgo Assis Benevenuto. Nada mais coerente para a fala de um dos integrantes do Quatroloscinco, grupo cênico que carrega o subtítulo de “Teatro do Comum” e completa, em 2017, a primeira década de história. Para celebrar a data, a trupe realiza mostra inédita com todo seu repertório de espetáculos e atividades complementares, em programação que começa hoje, com o espetáculo “É Só Uma Formalidade”, no Teatro de Bolso Sesiminas.

Formado também por Maria Mourão, Rejane Faria, Marcos Coletta e Italo Laureano, o grupo surgiu em 2007, no Curso de Teatro da UFMG. “Nossa principal característica é a criação coletiva. Cada espetáculo tem um processo criativo diferente”, explica Benevenuto. “Partimos do desejo de não fazer um teatro hermético. Quando dizemos ‘do comum’, nos referimos à comunidade em que estamos inseridos. Não é um teatro que fala somente sobre nós, mas sobre esse tempo comum em que vivemos”.

Na mostra, além de bate-papos com agentes do teatro mineiro, o grupo vai apresentar todo o seu repertório teatral, começando com “É Só Uma Formalidade”. “É uma peça que mostra duas histórias que muitos de nós já vivemos. O especial, mesmo, é a forma como elas são tratadas em cena. Queremos desformalizar esse encontro com o teatro, encontrando novas formas de ser e estar”.

]Serviço: Mostra Quatroloscinco 10 Anos– “É Só Uma Formalidade”. De hoje a sábado, às 21h; e domingo, às 19h, no Teatro de Bolso Sesiminas (rua Padre Marinho, 60 –Santa Efigênia). Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). Para ver a programação completa, acesse www.quatroloscinco.com.