Quase 200 anos de histórias, conhecidas porque se abriram para o mundo, inspiram os concertos que a Filarmônica preparou para quinta e sexta, às 20h30, na Sala Minas Gerais. A primeira história vem de Haydn, chamado o “pai da sinfonia”. Confinado aos palácios dos patrões por quarenta anos, Haydn viveu em grande isolamento artístico até que, em 1791, começou a viajar. Bruckner, por sua vez, era visto como um grande artista, porém de trejeitos simplórios e humildes.

Após 1881, quando sua Quarta Sinfonia foi apresentada em Viena, teve início um processo de reconhecimento que atualmente o qualifica como representante singular da forma sinfônica no século XIX.

A Sala Minas Gerais fica na Rua Tenente Brito Melo, 1.090, Barro Preto. Ingressos a partir de R$ 44 (inteira). Informações: (31) 3219-9000 ou filarmonica.art.br.