Hoje a Residência Soundpainting BH 2017 provocará um espetáculo único e espontâneo no conservatório da UFMG, como parte do laboratório de trocas entre artistas das áreas da música, dança e teatro. 

Tendo como ponto central o trabalho musical que prioriza aspectos como a textura e a dinâmica, o projeto começou em agosto e estende até dezembro. Sob coordenação de João Paulo Prazeres, os artistas residentes travam contato com a linguagem e criam conjuntamente.

Ao longo do processo, todos terão a oportunidade de experimentar a criação através do método, não só em suas disciplinas, como também diante do grupo, como soundpainters. Assim, será possível desenvolver a fluência na linguagem e, ao fim do período, todos estarão aptos a utilizar o soundpainting de diferentes formas em seu processo criativo.

Nesta apresentação, será mostrada uma criação livre a partir do trabalho com a linguagem realizado até então, abrindo para o público os avanços da experiência. 

ENTENDA

Soundpainting é a linguagem gestual multidisciplinar de criação em tempo real continuamente desenvolvida desde os anos 1970 por Walter Thompson, compositor norte-americano radicado na Suécia. Permite coordenar em tempo real a criação artística coletiva favorecendo a criação de obras que exploram elementos expressivos diversos e múltiplos.

Com uma sintaxe clara e direta, possibilita ainda criar uma estrutura composicional a partir de materiais artísticos trazidos por cada integrante. Para isso, o soundpainter (compositor-gesticulador) lança, fazendo uso dos sinais, propostas que são respondidas pelo grupo sob a forma de improvisação. 

Serviço
Residência Soundpainting, hoje às 19h30, no Auditório do Conservatório da UFMG (Av. Afonso Pena, 1534– Centro). Entrada franca.