Quando o público foi apresentado pela primeira vez às detentas de Litchfield, em 2013, a Netflix ainda começava a produzir conteúdos originais. Justamente por isso, é impossível negar que a série “Orange Is The New Black” foi uma das grandes responsáveis por alavancar não apenas o sucesso da plataforma, mas também a expectativa por conteúdos produzidos pela chancela.

Cinco anos depois da estreia do primeiro episódio da série a Netflix já tem sua produção consolidada, cada vez mais variada e internacional. Mas o seriado que ajudou a abrir caminho para isso continua se impondo como um de seus das mais importantes produtos; prova disso é a chegada de sua sexta temporada, que estreou na última semana. “A série chegou com um frescor e veio junto com a novidade do serviço de streaming”, ressalta a jornalista Bia Melo, do canal de cultura MIXIDO no YouTube.

Para entender a longevidade de “Orange...”, tarefa que não é das mais fáceis dada a quantidade de conteúdo disponível atualmente, vale ressaltar a importância e a inventividade trazida por ela.

Talvez a qualidade mais importante da série seja o protagonismo feminino, algo ainda não muito comum no universo do audiovisual. Esta força se espraia em diversos eixos que formam “Orange Is The New Black”, desde sua gênese. Baseada no livro homônimo da escritora Piper Kerman, o fato de ter uma mulher na criação de uma história majoritariamente feminina faz diferença, como pontua a jornalista. “Acredito que tenha contribuído para que a série seja sensível e diversa”, afirma Melo. “Ela conta a história de mulheres com sensibilidade, fugindo dos estereótipos. O roteiro é outro fator importante, consegue provocar identificação com as personagens e equilibrar a importância entre elas”, acrescenta a jornalista.

Quem também reforça o coro e ressalta a importância da representação trazida pelo universo de “Orange Is The New Black” é a estilista e cosplayer Lea Kakao. Fã da série, ela destaca essa característica como um fator essencial para que a produção conquiste o público. “Tem mulher de todo tipo. Gorda, magra, alta, negra, branca. Todas as espectadora, em algum momento da série, podem se identificar e tirar uma força para si mesmas”, acredita.

A diversidade também alcança a questão sexual. “Acho muito bacana ser tão aberto o romance entre (as protagonistas) Piper e a Alex. Agora está um pouquinho melhor, mas geralmente esse tipo de relação é meio abafada. A mídia costuma não deixar tão claro que duas mulheres se gostam e que aquilo não é um fetiche”, afirma ela, que chegou a fazer cosplay das personagens, ao lado da namorada.

Outra demonstração de força do feminino na produção está em seu elenco, majoritariamente de mulheres, e com protagonismo evidente–frequentemente o masculino é tratado como o mal ou os elos fracos da narrativa. “Isso é fundamental dentro de uma cultura midiática orientada, desde sempre, por padrões tradicionais e patriarcais. É importante para mulheres se verem representadas a partir de diferentes personagens com dramas peculiares, em situações distintas que dizem respeito ao universo feminino”, sublinha a professora e pesquisadora Fernanda Medeiros.

Desafios

No novo capítulo de “Orange Is The New Black”, as detentas de Litchfield sofrem as consequências da rebelião feita no presídio – evento que deu final a última temporada da produção. Como resultado, as personagens são encaminhadas para uma prisão de segurança máxima.

A sexta temporada chega com o desafio de recuperar a imagem deixada pelos episódios anteriores, que não agradaram os fãs da produção. “Eles me pareceram um pouco perdidos, como se a série tivesse esgotado as possibilidades e os roteiristas não soubessem mais o que inventar”, observa Melo. “Se for mais uma temporada de enrolação para acontecer algo só no final, vou ficar com preguiça”, confessa Kakao, que espera que a partir de agora a trama rume para uma conclusão.

Mais otimista, Medeiros acredita que a produção ainda tem fôlego para outras temporadas. “Mas isso depende de outros fatores, além da criatividade dos produtores”, reconhece.

Confira o trailer da sexta temporada de "Orange Is The New Black":