“É só uma análise do que acontece à nossa volta”, já dizia o Zimun em “Surreal”, faixa-título do EP homônimo, de 2012. Cinco anos depois, a banda mineira segue atenta às questões de seu tempo em “Sobre o Bom Senso e o Senso Comum”, segundo disco cheio, que solidifica a fusão entre rap, jazz, rock e brasilidades. O trabalho será lançado neste domingo (15), no Viaduto Santa Tereza, durante o HipHop.com Convida. Comemorando 12 anos de vida, o projeto ainda terá shows de Bárbara Sweet e Paula Itaussu, Duelos de MCs, Rimas & Melodias e Família de Rua.

O sucessor de "Pra Frente" (2014) traz dez faixas e tem produção musical do brasiliense Daniel Santiago, que já trabalhou com nomes como Teatro Mágico, Hamilton de Holanda e Milton Nascimento. “Foi um processo bem novo para nós. Sempre gravamos tudo junto, ao vivo. Como foi nossa primeira vez com um produtor experiente, resolvemos experimentar e gravar instrumentos e vozes separados”, conta o guitarrista Edgard Dedig. 

O resultado é uma estética marcada pela influência eletrônica. “Sempre flertamos com os elementos eletrônicos, mas agora essa relação fica mais clara. É metade eletrônico e metade orgânico”, afirma Dedig. “Ficou um disco mais dançante, para cima. E isso também tem a ver com o momento que vivemos. Temos que continuar fazendo com alegria, para o bom senso prevalecer. A gente não pode abaixar a cabeça, mas não precisa ser fatalista. É hora de resistência, mas de resiliência e otimismo, de pensar que vamos passar por isso tudo sem sucumbir”, reflete. 

No álbum, Dedig e os parceiros Matéria Prima e Castilho (vocais), Ravel Veiga (baixo), Gabriel Bruce (bateria) e Gabriel de Mattos (teclados) passeiam por diferentes gêneros musicais. “O rap é a nossa espinha dorsal, mas o que fazemos é street jazz, com várias referências. No álbum, tem funaná, que é um ritmo africano, tem canção brasileira, tem disco, tem música eletrônica”, pontua. 

Celebração

Além do Zimun, o HipHop.doc Convida terá outros nomes emblemáticos da cena mineira – como o das rimadoras Bárbara Sweet e Paula Itaussu. “Somos amigas e parceiras há quase 15 anos. Nos reunimos no coletivo Ponta Pronta e depois fizemos alguns projetos juntas. Esse show, para nós, é um reencontro”, diz Sweet. “Cada uma está trabalhando sua carreira solo, com caminhos diferentes. Ela tem um som com banda, mais orgânico, e o meu ‘trampo’ é mais conectado com o rap e o trap. O show vai mesclar banda e DJ, criando diálogos entre os dois no palco, de um jeito bem legal”, adianta Sweet. 

Serviço: HipHop.doc Convida. Domingo (15), a partir das 15h, no Viaduto Santa Tereza (Rua Aarão Reis–Centro). Entrada franca.