O publicitário Marcos Valério prestou depoimento à Polícia Civil, nesta terça-feira (13), no Departamento Estadual de Investigação de Fraudes, no bairro Santa Efigênia, região Centro-Sul de BH. Ele foi ouvido pelo delegado Rodrigo Boffi, chefe do departamento, e estava acompanhado do advogado Paulo Kobaiyashe.

Segundo a Polícia Civil, Valério assinou um acordo de delação que envolve supostas irregularidades cometidas em estatais mineiras. As informações prestadas pelo publicitário devem ser comparadas com elementos já fornecidos por Nilton Antônio Monteiro, delator da "Lista de Furnas" e do "Mensalão Tucano".  

Ele está preso em Sete Lagoas, na região Central, onde cumpres pena de 37 anos e 5 meses de prisão, pelo envolvimento com o mensalão tucano.

​O objetivo da defesa do ex-publicitário é rever as sentenças,  a partir das informações fornecidas.  Além disso, os advogados querem que Marcos Valério não seja indiciado em futuros inquéritos.

Essa é a segunda tentativa de delação firmada por Marcos Valério. Em julho do ano passado, o empresário assinou o acordo com a Polícia Federal para contribuir na investigação do Mensalão tucano. 

Por se tratar de informações ligadas a políticos com foro privilegiado, o acordo ainda depende de homologação  do Supremo Tribunal Federal (STF), o que deve acontecer nos próximos meses.


Leia mais:
Marcos Valério fecha delação sobre corrupção em estatais mineiras e Cidade Administrativa
Marcos Valério quer prisão domiciliar