Na madrugada deste domingo (10), quatro homens foram presos no bairro São Jorge, em Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte, quando estavam prestes a atear fogo contra um ônibus da linha 3850 (Citrolândia/Belo Horizonte). Um bilhete encontrado na mochila de um dos suspeitos levantou o alerta de que os ataques aos coletivos possam continuar pelos próximos dias. “Quando não tiver um sistema digno vai haver incêndio", dizia o texto.  

De acordo com a Polícia Militar, as prisões ocorreram durante um patrulhamento na região do bairro São Jorge, na cidade da Grande BH. Os agentes viram o grupo parar o coletivo e se aproximaram para verificar. Os quatro avistaram a viatura e fugiram para um matagal, mas foram detidos.

Com eles, foram apreendidos um galão com cinco litros de gasolina e uma caixa de fósforos. A polícia encontrou ainda uma réplica de arma de fogo e o bilhete com a ameaça. 

Os indivíduos afirmaram estar cumprindo ordens dos chefes do tráfico de drogas na região, para colocar fogo em coletivos. Dois menores faziam parte da ação, um de 14 e outro de 16 anos.

Ataques em Minas

Em seis dias, a organização criminosa conhecida como Primeiro Comando da Capital (PCC) comandou ataques a 64 ônibus em 37 cidades mineiras. Até agora, a polícia contabiliza 94 presos, 22 menores apreendidos e 37 cidades mineiras horrorizadas com o poder de destruição. Na última sexta-feira (8), uma operação conjunta das forças de segurança em Uberlândia, no Triângulo, confirmou a atuação da facção criminosa no Estado. 

 
Leia mais: