A discussão sobre as mudanças no estacionamento rotativo de Belo Horizonte, marcada para esta quinta-feira (14) na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH), foi adiada porque a BHTrans  não compareceu à audiência. Um novo encontro foi remarcado para o dia 28 de junho.

De acordo com Pedro Lula Patrus (PT), apesar da BHTrans se posicionar contra projetos de lei que tramitam na Câmara com o objetivo de permitir à Prefeitura conceder à iniciativa privada a exploração econômica dos estacionamentos públicos rotativos pagos da capital, o sistema conhecido por faixa azul passa por um momento de transição, o que gera diversas dúvidas que poderiam ter sido esclarecidas caso a empresa tivesse comparecido à audiência. 

O objetivo da BHTrans é alterar o funcionamento do sistema de estacionamento rotativo, que passará a funcionar por meio de aplicativo de celular. A empresa esclareceu que optou por realizar chamamentos públicos para o credenciamento de empresas interessadas na venda de créditos eletrônicos para o estacionamento rotativo, modelo em que toda a gestão financeira e operacional do sistema continuará sendo exercida pela própria BHTrans.

Os vereadores querem saber quais empresas estão interessadas em prestar serviços após a implementação de mudanças no sistema de estacionamento rotativo e como será, na prática, esse novo modelo. Outra dúvida é como fica a situação de quem não utiliza aplicativos de celular e como o sistema vai funcionar em locais da cidade onde o sinal de internet não funciona.

Além de alterar a data da audiência sobre o tema, a comissão cobra ainda se a expectativa de arrecadação líquida desse novo modelo é maior que a atual e qual será o impacto dessa alteração no preço final do estacionamento.

Leia mais:

Rotativo eletrônico ameaça o faturamento de donos de bancas na capital
Faixa Azul digital deve ser implantado em BH na semana que vem
Fiscalização de rotativos está temporariamente suspensa em BH, afirma BHTrans