O ex-senador de Minas Gerais Clésio Andrade foi condenado pelo crime de lavagem de dinheiro a cinco anos, sete meses e 15 dias de reclusão por participar do desvio de R$ 3,5 milhões em estatais mineiras em 1998.

Segundo a sentença, proferida na última sexta (11), pela juíza Lucimeire Rocha, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, Andrade praticou lavagem de dinheiro por meio de empresas do operador Marcos Valério, no esquema que ficou conhecido como "mensalão tucano".

Na época, Andrade era candidato a vice-governador da chapa encabeçada por Eduardo Azeredo (PSDB). Na sentença, a magistrada fixou o regime inicial como semiaberto. Ela ainda absolveu Clésio Andrade dos crimes de peculato.

Atualmente, o ex-senador é presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Clésio Andrade, mas ainda não teve retorno.

Leia mais:
Justiça condena ex-secretário do governo Azeredo por envolvimento no mensalão tucano
Clésio Andrade nega em depoimento acusações de participação no 'mensalão mineiro'
Clésio Andrade será interrogado nesta quarta em processo do 'mensalão mineiro'