De volta após ter sido convocado para a Seleção do Equador e desfalcado o Atlético em três jogos (contra Avaí, Vitória e Atlético-PR), o meia Cazares foi o principal destaque da vitória alvinegra sobre o São Paulo, por 2 a 1, no Morumbi, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

O camisa 10 devolveu o toque de criatividade e objetividade do qual o Galo havia se ressentido nas últimas partidas. Ainda assim, a equipe do técnico Roger Machado foi irregular diante do Tricolor, levou o empate e só garantiu os três pontos no fim da partida, com mais um gol salvador de Rafael Moura.

Com o resultado, o time mineiro alcança a segunda vitória na competição e deixa a zona de rebaixamento, agora com nove pontos (37% de aproveitamento).

O próximo compromisso será contra o Sport, nesta quarta-feira (21), às 21h45, no Independência. E a torcida atleticana espera que seu inconstante armador esteja novamente inspirado.

“Vi resultado e produção, as duas coisas. Nós conseguimos neutralizar bem o adversário, fizemos o gol e poderíamos ter feito outro. Após o gol deles, tivemos o campo para contra- atacar, mas erramos em algumas construções. Dava 
para ter matado o jogo”

Roger Machado,
técnico do Atlético

‘Efeito camisa 10’

Cazares não contribuiu apenas com o primeiro gol, em belo chute da entrada da área, logo aos oito minutos de jogo. O equatoriano também deu quatro passes para finalizações e construiu outras jogadas perigosas em lances de contra-ataque, nos quais o Atlético poderia ter ampliado a vantagem.

As estatísticas dão uma boa dimensão da importância do camisa 10. Contra o São Paulo, o Galo concluiu “apenas” nove jogadas para balançar a rede duas vezes. Em contrapartida, na derrota por 1 a 0 para o Furacão, no Independência, o time havia efetuado 27 finalizações sem sucesso.

A diferença é que, desta vez, a equipe mineira criou situações realmente perigosas tabelando pelo meio ou abrindo as jogadas com mais clareza pelos lados. No Horto, haviam sido alçados 63 cruzamentos para a área (55 deles errados, o recorde negativo desta edição Série A, segundo o site Footstats).

No Morumbi, considerando apenas os passes dados por Cazares, foram criadas três boas oportunidades para um segundo gol ainda na etapa inicial, com Robinho, Elias e Rafael Moura finalizando de dentro da grande área.

Na etapa complementar, saíram também dos pés do armador duas das três principais oportunidades do Atlético. A primeira em chute forte da intermediária, à esquerda da meta, e a segunda, em cobrança de falta desviada contra a baliza pelo volante Cícero e defendida no reflexo pelo goleiro Renan Ribeiro.

Participações decisivas

O gol marcado contra o São Paulo foi o primeiro de Cazares em cinco partidas disputadas neste Campeonato Brasileiro – ele já havia dado também uma assistência, contra o Fluminense.

Apesar de ter uma imagem associada à irregularidade das atuações, o equatoriano é o principal criador do elenco alvinegro nesta temporada, com 11 passes para gols em 30 jogos disputados.

Ele aparece também como o segundo atleta mais eficiente do grupo, em termos ofensivos, com mais seis tentos e média de participação direta em 0,56 gol por partida. Só Fred é mais fatal, com 19 gols e seis assistências em 26 aparições (média 0,96).