Somente 12 partidas como titular foram suficientes para o jovem zagueiro Martín Rea despertar a atenção do Atlético. O uruguaio formado no Danubio desembarca em Belo Horizonte para ser o oitavo reforço do clube neste segundo semestre. Na capital mineira, ele deverá aguardar com ansiedade por uma "correpondência" especial.

Revelado em fevereiro, o defensor de apenas 20 anos possui uma experiência curiosa fora de campo. Quando completou a maioridade, em 2016, Martín ingressou no Instituto Superior de Educação Física (Isef) da Universidade da República do Uruguai para cursar o equivalente à graduação tecnológica em Formação de Treinadores, segundo o jornal local Referí.

“O futebol acaba e, depois, ainda me restarão 40 anos para viver. Por isso, tenho que estudar. Obviamente quero ser treinador no futuro, mas hoje em dia o estudo já me abre a cabeça”

Na faculdade, ele era o "caçulinha" e foi colega de Sebástian Eguren, ex-atleta da seleção nacional e do Palmeiras. A previsão era que o zagueiro recebesse o diploma de técnico de futebol justamente agora, neste mês de agosto. 

“Eguren às vezes me leva para o curso, nós conversamos muito, e quando há trabalhos fazemos juntos. Claro que tento tirar alguma coisa dele, sobre situações de jogo e gerenciamento de grupo. Ou sobre o Maestro (Óscar Tabárez, treinador da seleção) e como ele plenejava as partidas”, revelou o jogador na reportagem publicada em abril deste ano.

O uruguaio de 1,84m foi titular em 12 jogos desde a estreia, em feveiro, entre o Torneio Apertura do Campeonato Uruguaio e o Torneio Intermédio, ambos vencidos pelo Nacional – o Danúbio terminou em terceiro na primeira competição. Ele fez um gol e recebeu um cartão vermelho na ainda incipiente carreira profissional (assista a alguns lances abaixo).

No alvinegro de Montevidéu, Rea foi companheiro do meia David Terans, também contratado pelo Galo para este segundo semestre.

Aposta

Ainda sem contrato assinado, o zagueiro acertou com o Atlético por empréstimo de um ano e prioridade de compra com direitos econômicos fixados. “Há uma negociação, nada ainda fechado”, informou o clube por meio da assessoria de imprensa.

O jovem atleta chega como esperança para um setor problemático. Outra vez, o Galo possui uma das piores defesas do Campeonato Brasileiro, com 25 gols sofridos e oito formações diferentes na primeira linha.