Há quase 60 dias em espera, o América ainda aguarda que a LuArenas desmonte as duas arquibancadas móveis erguidas atrás de um dos gols do Independência, num projeto embargado de ampliação. A concessionária do Horto havia informado em junho que iria remover o equipamento, mas o prazo já foi estourado.

A questão está sendo tratada pela Justiça num processo movido pelo Coelho contra a LuArenas (antiga BWA). Em consulta a um dos advogados alviverdes na ação da 2ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte, o Hoje em Dia obteve a informação de que a LuArenas alegou que a empresa responsável pela instalação das obras (Stick Engenharia de Eventos) se recusou a retirar a arquibancada móvel e que há uma discussão sobre responsabilidade financeira da desmontagem.

Materiais utilizados na instalação da arquibancada modular
Materiais utilizados na instalação da arquibancada

"Houve o transcurso do prazo para retirada das arquibancadas, mas a Concessionária não o fez, sob a alegação de recusa da empresa responsável pela obra. Estão discutindo a responsabilidade financeira. Estamos aguardando despacho do Juiz após tal manifestação da Concessionária no processo", disse o advogado Bruno Veloso Lago, ao Hoje em Dia

No começo desta semana, a reportagem entrou em contato com a LuArenas, através do gerente Helber Gurgel, que disse apenas que o caso estava "entregue aos advogados" da empresa. Posteriormente, o próprio presidente do América, Alencar da Silva Jr. disse que a LuArenas não retirou a arquibancada modular por "não ter dinheiro".

Retirada das arquibancadas móveis do Estádio Independência ultrapassa os 50 dias de espera

A intenção da concessionária era colocar mais 5 mil novos lugares no Independência, saltando a capacidade máximo do Estádio de 23 mil para 28 mil. Visando, principalmente, a participação do Atlético na Libertadores 2017. As arquibancadas foram instaladas de forma rápida, ainda em abril, mas nunca foram utilizadas. 

A Justiça mandou bloquear a venda de ingressos para o setor e, posteriormente, a paralisação da instalação. Por fim, América e LuArenas corriam para um aperto de mão e discussão em conjunto de um projeto de ampliação definitivo do Horto, com arquibancada fixa. Algo que ainda não evoluiu.