A torcida do América comemora, o Coelho está de volta à Série A do Brasileirão! Um ano após a queda para a Série B, o time mineiro mostrou força, estabilidade, precisão e garra na competição e conseguiu, com três rodadas de antecedência, a volta à elite do futebol nacional. Há sete jogos sem perder, a vítima da vez foi o Figueirense que, mesmo jogando em casa, não conseguiu suportar a partida cirúrgica do Coelho, com gols no primeiro minuto e no último lance da etapa inicial da partida. O time catarinense até fez um gol e tentou muito reverter o placar, mas a forte e precisa marcação do organizado time mineiro impediram qualquer chance de reação, com a partida terminando em 2 a 1. Além do acesso matematicamente garantido, o Inter tropeçou na rodada e o Coelho virou líder da competição, com 66 pontos. 

O JOGO

As palavras do técnico Ederson Moreira antes da bola rolar, de que estaria satisfeito com um empate, não foram levadas em consideração pelos jogadores do Coelho. Logo no início da partida, o América foi com tudo pra cima do Figueirense, com o primeiro lance real de gol logo aos 31s. Gérson Magrão recebeu a bola em um longo lançamento e finalizou de fora da área, obrigado o goleiro catarinense Saulo a fazer uma boa defesa, mandando para fora. Na cobrança do escanteio, Norberto mandou fechado no primeiro travessão, Rafael Lima desviou de cabeça e a bola foi pro fundo do gol, abrindo o placar para o América, com apenas 1m24s: 1 a 0.

O gol fez o Figueirense, ameaçado de queda para a Série C, ficar acuado nos minutos seguintes e o América tentando pressionar ainda mais. Passado o susto inicial, os catarinenses começaram a tentar pequenas investidas, mas que paravam sempre no meio campo compacto, organizado e com forte marcação do Coelho, que passou a privilegiar a marcação e a tentar explorar os contra-ataques. Os dois times tiveram algumas oportunidades, mas sem chances reais de gol, com os mineiros mantendo o controle da partida até no meio da primeira etapa.

A partir disso, apoiado pela sua torcida, O Figueirense começou a forçar mais as jogadas, melhorando bastante no setor ofensivo e levando mais perigo ao gol de João Ricardo. Para segurar a partida, os jogadores do Coelho tiveram que cometer algumas faltas, o que levou Gérson Magrão a tomar o cartão amarelo após acertar Renan Mota.

E foi em uma dessas faltas que a partida mudou. Aos 22m, Dudu recebeu bola na direita na intermediária e foi derrubado por Bill. O mesmo Dudu foi quem bateu a cobrança. Em cruzamento na área, Jorge Henrique, na primeira trave, desviou de cabeça no canto inverso, sem chances para João Ricardo: 1 a 1.

Após o gol, o Figueirense conseguiu se impor na partida, obrigando o América a se recuar ainda mais, mas com os catarinenses não conseguindo transformar os lances em chances reais de gol, muito por causa da tranquilidade do time mineiro, que soube controlar a pressão. Já na reta final do primeiro tempo, a partida ficou bastante eletrizante, com bons lances para os dois lados, um jogo digno de sua importância na competição. Mesmo com os donos da casa um pouco melhor, o América conseguiu manter o controle até e reta final, quando resolveu de novo investir no ataque. 

Já nos acréscimos, Gérson Magrão recebeu cruzamento na área, em lance legal, mandando pro fundo do gol. Porém, a arbritragem marcou impedimento, anulando o que seria o segundo gol do time mineiro. Mas, no lance seguinte, aos 48min, não teve arbitragem que impedisse o Coelho chegar à vantagem de novo.

Em um lançamento do goleiro João Ricardo no bico da meta adversária, Giovanni cabeceou para dentro da área, Bill tocou para Gérson Magrão, que voltou a bola no meio da área para Giovanni fazer o segundo do Coelho no jogo, o segundo de cabeça, no último lance do primeiro tempo: 2 a 1.

2º TEMPO 

Na volta do intervalo, as duas equipes começam a etapa final com um ritmo um pouco mais morno. Nos primeiros minutos, enquanto o Figueirense tentava algumas investidas, o América voltou a optar por manter a marcação forte no seu campo de defesa, impedindo qualquer chance real do time catarinense.

Nos minutos seguintes, o Figueirense tentou pressionar de maneira mais forte, investindo na saída de bola do Coelho. Em um desses lances, o time do Figueira quase jogou um balde de água fria na comemoração do América. Em uma bobeira de reposição de bola do goleiro João Ricardo, os catarinenses chegaram com perigo, mas desperdiçaram a chance.

O Figueira continuou então com suas investidas, mas o América seguiu firme na marcação. Uma vez ou outra, o Coelho ainda buscava um contra-ataque e chegou a levar perigo à meta de Saulo. Em um escanteio, aos 28min, Bill cabeceou na trave, levando muito susto ao goleiro, que perdeu o tempo da bola saindo errado na tentativa de cortar o lance.

Depois disso, o América conseguiu crescer e adiantou sua marcação. As duas equipes trocaram lances de certo perigo, com o alviverde mineiro tendo a chance de ampliar. Mas, nos minutos seguintes, com o Coelho mais adiantado, foi o Figueira quem conseguiu chegar mais perto de balançar as redes novamente. Aos 39min em cruzamento na pequena área, Messias salvou o América. Já aos 41min, Henan chegou bem e chutou cruzado com muito perigo, mas a bola foi direto para fora.

O time catarinense ainda pressionou até o fim, mas não conseguiu o empate, levando o América a conseguir a sonhada vitória por 2 a 1, que garantiu o time de volta para a Serie A do Brasileirão em 2018.

FICHA TÉCNICA

FIGUEIRENSE 1 X 2 AMÉRICA

FIGUEIRENSE - Saulo; Dudu, Ferreira (Henrique Trevisan), Naylhor e João Lucas; Zé Antônio, Dudu Vieira, Marco Antônio (Joãozinho), Renan Mota e Jorge Henrique; André Luís (Henan). Técnico: Milton Cruz.

AMÉRICA - João Ricardo; Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni; Juninho, Ernandes, Gérson Magrão, Renan Oliveira (Zé Ricardo) e Felipe Amorim (Rubão); Bill (Edno). Técnico: Enderson Moreira.

GOLS - Rafael Lima, a 1, Jorge Henrique, aos 25, e Giovanni, aos 48 minutos do primeiro tempo.
ÁRBITRO - Alisson Sidnei Furtado (TO).
CARTÕES AMARELOS - Renan Mota e Jorge Henrique (Figueirense); Gerson Magrão (América).
RENDA - R$ 124.886,00.
PÚBLICO - 6.487 pagantes (7.044 total).
LOCAL - Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC).