Pela primeira vez em 58 anos desde a fundação, o Araxá Esporte Clube, time de maior torcida na região do Alto Paranaíba, decidirá uma competição estadual nas categoria de base. 

Perto de fazer aniversário, no próximo dia 16, o Ganso encara o Atlético neste sábado (11), às 15h, para tentar levantar o caneco do Campeonato Mineiro Sub-20. O duelo acontecerá na Arena do Calçado, em Nova Serrana.

Treinado pelo ex-meio campista Guiba, o Araxá faz história no torneio e, ao contrário do que se possa imaginar, não é mero coadjuvante na decisão contra o gigante da capital. 

Invicto na primeira fase, acumulou oito vitórias e três empates nos 11 primeiros duelos. Já no hexagonal final, foram sete triunfos, um empate e duas derrotas.

“Trabalho com esses meninos há um ano e meio. A maioria deles era da base do Villa Nova e trabalhava comigo lá. Como o clube vive problemas graves, que acabaram fazendo com que eles parassem por vários dias os trabalhos, os garotos vieram para cá”, conta Guiba. 

“Dos 35 jogadores do nosso elenco, 22 eram do Leão”, acrescenta.

A montagem do elenco, conta ele, visava à disputa da Copa São Paulo, principal competição de base do país e objetivo maior da temporada, já alcançado.

“Desde o começo do trabalho, disse aos atletas que jogaríamos como família, um respeitando ao outro. No futebol e na vida”, relata o treinador de 45 anos. 

“As condições oferecidas pelo Araxá são muito boas. Eles ficam no alojamento do clube e têm cinco refeições diárias”, conclui.

Divisor de águas

Em relação à decisão inédita, o ex-jogador e agora dono da prancheta destaca a importância para a vida dos comandados e, também, para o próprio caminho como técnico.

Para Guiba, só com o fato de ter chegado à decisão, o trabalho já desperta a atenção de outros clubes. O título, no entanto, abriria portas ainda maiores.

Sem salário fixo, o grupo ganha cerca de R$ 2 mil por vitória a serem divididos igualmente – alguns jogadores recebem uma ajuda de custo extra de R$ 500.

O Araxá tem no atacante Marcus Vinícius a esperança para romper a defesa atleticana e dar a tão sonhada volta olímpica. Com nove gols no Mineiro, ele é o artilheiro da competição.

Outro que pode fazer a diferença é Yan, que já deixou sua marca sete vezes.