O Estádio Independência viveu um dia incomum na segunda-feira (7). Mais alem da derrota do Atlético para o Internacional e a queda de energia - já vistos outra vez - o que chamou a atenção foi a forte chuva de granizo. Aspectos que ocasionaram o retardamento da partida em 28 minutos.

O primeiro 'responsável' por atrasar o andamento da peleja foi uma falta de William Pottker em Léo Silva, não marcada pelo árbitro. No início do jogo, o atacante do Inter salta de um carrinho do capitão alvinegro e deixa a trava da chuteira no contato com a cabeça do veterano jogador. Léo jogou com proteção na cabeça o restante do jogo e teve de levar pontos no intervalo.

Com isso, o Atlético demorou quatro minutos no retorno da partida para o segundo tempo, conforme o relado de Jailson Macedo de Freitas. "A equipe do Atlético Mineiro atrasou 04 minutos para retorno ao campo de jogo para o reinício do jogo (segundo tempo), recebi informações do médico da mesma que o atleta n.03 o sr. Leonardo Fabiano da Silva e Silva estava em procedimento médico para sutura de um corte na cabeça", escreveu o juiz.

A etapa final começou debaixo de chuva, numa situação climática que chegou a paralisar a partida com a queda de granizo. Jailson, ao receber uma lascada na cabeça, apitou que o jogo não poderia prosseguir. Todo mundo debaixo do banco de reserva. Mais nove minutos parado, gramado encharcado, e a bola voltou a rolar por pouco tempo. Aquaceiro fez a energia do Independência cair outra vez. O Estádio já é famoso por isso, tendo acontecido na Libertadores 2013 e num clássico Galo x Cruzeiro de 2017.