Uma parceria que ainda não gerou lucro operacional ao Atlético. Assim pode ser traduzida a relação entre o alvinegro, sócio comercial, e a BWA (LuArenas), gestora do Independência.

Do vínculo, iniciado em fevereiro de 2012, até esta temporada, em nenhum balanço financeiro do clube foi apresentado saldo positivo da exploração do estádio, esta sob responsabilidade da administradora.

Apesar das 149 partidas disputadas pelo Atlético no Horto, fora de campo a conta não fecha. No balanço referente a 2016, não consta se o clube teve prejuízo ou se a arrecadação do Independência fora suficiente para bancar os custos do estádio.

É importante lembrar que, nesta conta, não é considerada a venda de ingressos para dias de jogos, pois são assuntos distintos.

De acordo com informação apurada pelo site UOL, Para assinar com a BWA e ter participação na exploração do "Indepa", o Galo gastou cerca de R$ 8 milhões, estes usados em algumas reformas no local.

"O Clube Atlético Mineiro é sócio participante SCP Arena Independência, cabendo-lhe 50% dos resultados líquidos obtidos na referida SCP – Sociedade em Conta de Participação. Em 2016 e 2015 não foram apurados resultados positivos", apresenta trecho do balanço de 2016.