Representante do Cruzeiro na Copa do Mundo, o meia Arrascaeta está de volta à Toca da Raposa II.    

Após participar da campanha que levou o Uruguai às quartas de final do Mundial, o jogador se reapresentou nessa quinta-feira (12), e já inicia a preparação para o segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Atlético-PR, na próxima segunda, no Mineirão.

Em sua primeira entrevista coletiva após o retorno, o uruguaio garante que o foco é o duelo com o time paranaense, destacando a importância de a Raposa avançar na competição.

“Eu vou treinar com pensamento de jogar na segunda. É uma partida muito importante para nós, o jogo vai nos dar confiança. Passar de fase numa competição muito importante. Treinar normalmente hoje para ficar à disposição na segunda-feira”, afirmou.

Outro tema comentado pelo meia foi a relação com o atacante Luis Suárez, companheiro de seleção. Com a escassez de centroavantes na equipe celeste, em virtude das lesões de Fred, Sassá e Raniel, o jogador até brincou sobre um possível convite ao astro do Barcelona.

“Obviamente tivemos muito tempo juntos, temos grande amizade entre todos nós. Com o Suárez tenho uma amizade especial, ele se colocou à disposição para me ajudar no que eu precisasse e tudo. Ele é do bem. Particularmente, não falei (sobre o Cruzeiro). Obviamente que sempre brincamos com ele. Falei com ele que precisávamos de um camisa 9, mas não passou disso”, completa.

Hernán Barcos

Ainda sobre as opções para a camisa 9 do Cruzeiro, Arrascaeta comentou sobre a chegada do argentino Hernán Barcos, contratado pelo clube nessa semana.

“É um jogador importante, que tem uma característica de goleador. Vai nos ajudar muito. Aqui nós sempre recebemos jogadores, independentemente de ser gringo ou brasileiro, da melhor maneira. Nosso grupo é muito bom, muito aberto. Vamos aguardar ele. Esperamos que seja mais um para beber mate”.

Copa do Mundo

Cotado para integrar o trio ofensivo do Uruguai ao lado Suárez e Cavani, o meia atuou em apenas duas partidas do Mundial, sendo titular em um deles – na estreia do torneio contra o Egito.

Apesar de atuar menos que o esperado no Mundial, Arrascaeta destacou o aprendizado adquirido na sua participação na Copa da Rússia.

“Acho que ganhei muita experiencia lá na Copa do Mundo. A expectativa realmente era muito grande, sabíamos que jogaríamos contra os melhores do mundo. Infelizmente, não deu como esperávamos. Mas precisamos estar preparados para esse momento, temos jogadores de muita qualidade, nosso time trocou a formação e, como falei, tudo é um aprendizado novo. Vamos seguir treinando e melhorando o que precisa melhorar. Na verdade, o primeiro jogo foi o pior do nosso time. Criamos poucas situações e, depois, no jogo contra a Rússia o time se encaixou melhor. O treinador fez certo para dar sequência aos caras que vinham jogando porque estavam fazendo bem. E os caras que estavam entrando, estavam fazendo melhor. Respeitamos muito isso e treinamos para o dia que a gente for jogar, fazer o melhor”.