Aos 49 minutos do segundo tempo da decisão, o artilheiro do Campeonato Mineiro de 2005 recebe um cruzamento na segunda trave. Sobe mais que o zagueiro e joga a bola, de cabeça, para o meio da área. O companheiro, entretanto, não alcança o passe, o árbitro apita o fim do jogo, e o maior goleador deixa o título escapar. Era o começo da “Maldição do Estadual”, que impede que o artilheiro do torneio seja também campeão da competição.

Ninguém marcou mais gols que Fred no Mineiro de 12 anos atrás. Entretanto, os 13 gols com a camisa do Cruzeiro não foram suficientes para garantir o título, perdido em pleno Mineirão para o Ipatinga na derrota por 2 a 1, após empate em 1 a 1 no duelo de ida.

O atacante sairia da Raposa naquele ano, rumo ao Lyon, e só voltaria a disputar o Estadual neste ano, já com a camisa do Atlético. Atual goleador do torneio com oito bolas nas redes, o camisa 9 tem a chance de quebrar a sina negativa dos artilheiros, que começou com ele mesmo. 

Em 2004, o ex-meia Alex foi o artilheiro do campeonato, com 14 gols, e faturou o bicampeão estadual. A Raposa perdeu a chance do tri contra o Ipatinga, quando Fred foi o jogador mais eficiente ofensivamente. 

No ano passado, o também atleticano Robinho chegou perto de quebrar a “maldição”, mas o Galo ficou com o vice-campeonato diante do América. Fred tem tudo para se sagrar artilheiro da atual edição, uma vez que tem o dobro de gols dos vice-goleadores Luiz Eduardo (Caldense) e Roni (Villa Nova). A missão mais complicada, e de maior importância, entretanto, é levantar a taça em maio. 

Para tanto, o Galo pode dar um importante passo já neste sábado (18). Se vencer o Tricordiano, em Divinópolis, o time consegue a classificação para as semifinais de forma antecipada.

O objetivo então será a manutenção do primeiro lugar, que dá a vantagem do empate nos placares agregados (ida e volta) na semifinal e na decisão. O Galo não termina a primeira fase com a melhor campanha desde 2012, quando foi campeão invicto. 

SECA? QUASE NUNCA
Fred chegou à marca de 43 gols em 47 jogos no Mineiro – média de 0,91 por partida. Nesta edição, o jogador de 33 anos tem o melhor início pessoal na competição, com mais gols do que jogos (8 e 7, respectivamente). Além disso, ainda não passou três rodadas seguidas sem balançar a rede.

Contra o Tupi, o atacante interrompeu uma sequência de seis jogos consecutivos “correndo para o abraço”. Nesta temporada, Fred só passou em branco diante do time de Juiz de Fora e no duelo contra o Tombense, ainda na segunda rodada do Estadual.

“Estou feliz pelo momento, e mais feliz que a nossa equipe vem mantendo uma boa sequência de resultados positivos. Fico feliz por poder ajudar o Atlético com gols”, disse o camisa 9 após o confronto com o Godoy Cruz, pela Libertadores, no qual marcou o gol de empate do Atlético.

Arte Fred


CAPITÃO DE VOLTA
O Galo realizou ontem mais um treino preparatório para encarar o Tricordiano, quando poderá chegar à oitava vitória seguida no Mineiro. A equipe do técnico Roger Machado terá o retorno do capitão Leonardo Silva, poupado na segunda-feira. Livre de dor, o também zagueiro Erazo poderá ser aproveitado, assim como Luan, que estreou no último jogo.