O Atlético não resistiu à pressão final do Vasco e tomou uma virada em sua estreia no Campeonato Brasileiro, perdendo por 2 a 1, após estar vencendo até os 40 minutos do segundo tempo.

Embora tenha dominado boa parte do jogo, desperdiçando boas oportunidades, o Galo não soube responder às mudanças táticas do time carioca, com a entrada de Rildo e Andrés Rios, e passou a perder terreno.

É a terceira derrota seguida do Atlético, que perdeu na final do Campeonato Mineiro para o Cruzeiro, no domingo passado, e para o San Lorenzo, no meio de semana, pela Copa Sul-Americana.

O Atlético começou bem e chegou logo ao gol, aos 12 minutos, num chute de Otero ao melhor estilo do venezuelano: de longe, com efeito, pegando de surpresa o goleiro Martín Silva.

Os donos da casa sentiram o golpe, cometendo muitas faltas e atacando de forma desorganizada. O Galo passou a jogar no contra-ataque e chegou com perigo mais três vezes, numa delas Blanco entrou na área e emendou chute na trave.

O Atlético trabalhou um esquema diferente, com Cazares aberto na esquerdo e Otero, na direita. Já Luan ficava flutuando, organizando as jogadas, assim como o equatoriano vinha fazendo nas últimas partidas.

Defensivamente, os mineiros sofreram um pouco na saída de bola. Num desses momentos, antes do gol de Otero, após um passe errado de Elias, o Vasco chegou a área e Pikachu chutou forte, acertando a trave de Victor.

A torcida já vaiava alguns jogadores do Vasco ainda na metade do primeiro tempo, principalmente os dois laterais, Henrique e Rafael Galhardo. O árbitro André Luiz Castro também não foi poupado.

Vasco voltou do intervalo acelerado e quase chegou ao empate, numa boa jogada entre Wagner e Henrique, levando Victor a fazer mais uma defesa importante no jogo – ele já tinha espalmando uma cabeçada de Riascos na primeira parte.

Com Rildo e Andrés Rios em campo, o Vasco passou a aparecer mais no ataque. Aos 24 minutos, Rios recebeu na entrada da pequena área e ficou frente a frente com Victor. O goleiro fez outra defesa espetacular. Mas se tivesse entrado, o gol seria anulado, já que Rios ajeitou a bola com o braço.

Aos 40 minutos, o Vasco chegou ao gol de empate, após pressionar muito. Wagner pegou rebote e mandou um chute forte, no canto esquerdo de Victor.

Aos 51, após interrupção devido a uma batida de cabeça no alto entre Fábio Santos e Thiago Galhardo, Bremer fez pênalti em Rildo, depois de Roger Guedes, que havia acabado de entrar, dar um passe errado. Pikachu pôs na rede, marcando a virada vascaína.

No próximo domingo, o Atlético enfrenta o Vitória, no Independência. Mas antes, no meio de semana, pega o Ferroviário em Fortaleza, no jogo de volta da Copa do Brasil – no primeiro, o Galo venceu por 4 a 0.

 

FICHA TÉCNICA
Vasco 2 x 1 Atlético

VASCO – Martín Silva, Rafael Galhardo (Rildo), Paulão, Werley, Henrique, Wellington (Thiago Galhardo), Desábato, Yago Pikachu, Evander, Wagner e Riascos (Andrés Rios). Técnico: Zé Ricardo.

ATLÉTICO – Victor, Patric, Bremer, Gabriel, Fábio Santos, Gustavo Blanco (Yago), Elias, Cazares (Róger Guedes), Luan, Otero (Erik) e Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi.

GOLS – Otero, aos 12 minutos do primeiro tempo. Wagner, aos 40, e Pikachu, aos 53 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Henrique, Evander, Rildo, Andrés Rios, Bremer, Yago, Fábio Santos.

ARBITRAGEM - André Luiz de Freitas Castro, auxiliado por Cristhian Passos Sorence e Leone Carvalho Rocha, todos de Goiás.

PÚBLICO – 7.197 presentes.

RENDA – R$ 176.600,00