O técnico Thiago Larghi recebeu uma grande notícia nesta segunda-feira (6), dia do confronto contra o Internacional, válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ele terá à disposição os volantes Elias e Matheus Galdezani, que haviam sido punidos pelo STJD, no duelo marcado para às 20h, no Independência.

No início da tarde, o clube oficializou que o recurso foi aceito pelo auditor Mauro Marcelo de Lima e Silva, relator do processo, que reconsiderou o pedido do clube em relação ao efeito suspensivo para os atletas, mas manteve os 40 dias de suspensão para o presidente Sérgio Sette Câmara - ele usou palavras ofensivas contra a CBF, por meio do perfil no Twitter.
 

Entenda:
As palavras ditas pelos volantes Matheus Galdezani e Elias, após a derrota do Atlético diante do Palmeiras, foram julgadas pelo STJD na última quinta-feira e renderam punições aos dois jogadores. O Galo ingressou com recurso de pedido de efeito suspensivo para mudar o resultado e liberar os dois para o confronto diante do Internacional.

Elias e Galdezani teriam de cumprir, ao menos até o resultado do recurso alvinegro, duas partidas cada de gancho. No caso do segundo, uma foi cumprida automaticamente após a expulsão já depois do término daquele confronto em São Paulo. Mas a mão chegou a pesar mais no ombro dos dois quando o relator do julgamento deu seu parecer.

No tribunal do STJD, Maurício Neves votou para Elias pegar quatro jogos de gancho (voto repetido pelo auditor Eduardo Mello), além de pagar R$ 3 mil de multa na qualificação do artigo 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que descreve: "Ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto", se referindo à entrevista abaixo do camisa 7.

“É uma vergonha, não é, cara? São dois jogos seguidos fora de casa e dois jogos em que a gente está sendo assaltado, ao pé da letra. Hoje, uma falta aqui no meio-campo, ia ser dois contra um. Ele marcou a falta. Saiu o gol (do Palmeiras) depois, não justifica. Mas era um lance que poderia gerar gol. Está difícil. A arbitragem brasileira está passando por um momento ruim, negativo. Muita coisa tem que ser vista. Acho que os clubes têm que se unir para colocar logo essa merda desse VAR para ver se melhora alguma coisa”, disse o volante.

Galdezani, por sua vez, recebeu dois jogos de gancho, mas o mesmo auditor Maurício Neves solicitou três jogos ao invés de duas partidas para o volante ficar fora do time de Thiago Larghi. Os demais votantes - três auditores e o presidente da Quinta Comissão Disciplinar - votaram por dois jogos. O atleta emprestado pelo Coritiba xingou o árbitro da partida, Péricles Bassols, por ter marcado uma falta que originou o gol da vitória palmeirense - "ainda teve a coragem de me expulsar, seu safado", afirmou Galdezani.

asasasas