Em uma briga direta para continuar sonhando com a classificação para a Libertadores do ano que vem, Bahia e Atlético se enfrentaram neste domingo (12) na Fonte Nova em Salvador, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. E com um gol logo aos 4 minutos, o Galo insinuou que iria partir com tudo... Mas parou por aí. A partir de então, ele deixou Tricolor baiano tomar conta do jogo, virar e só não voltou com a derrota pela falta de qualidade das finalizações do adversário e graças a um gol de Robinho que garantiu o placar de 2 a 2.

Com o resultado, o Atlético foi a 46 pontos, na 10ª colocação, e continua atrás do Bahia, com a mesma pontuação, mas levando vantagem no critério de desempate. O vacilo do alvinegro fica mais evidente se considerarmos os outros resultados da rodada. A derrota do Flamengo - que, com 50 pontos e na sétima posição, fecha o grupo dos times que irão à Libertadores - e o empate do Vasco (oitavo com 49 pontos) permitiriam ao Galo aumentar as suas chances de buscar uma vaga na Libertadores. Ao mesmo tempo, o empate entre Vasco e São Paulo (oitavo e 11º, respecticamente) foi favorável ao Atlético, pois impediu a aproximação deles.

O jogo

O técnico Oswaldo de Oliveira foi para Salvador com muitos desfalques: Felipe Santana, Cazares, Marcos Rocha, Clayton, Giovanni, Uilson, Alex Silva, Gabriel e Lucas Cândido (machucados); Leonardo Silva, Fred e Adilson (suspensos).

Com um time cheio de remendos, o Atlético surpreendeu logo aos 4 minutos: Valdívia fez grande jogada e serviu Robinho dentro da área que, com categoria, bateu tirando o goleiro Jean e colocando a bola no fundo das redes. A partir daí, só deu Bahia, que sofria nas finalizações.

No segundo tempo, os donos da casa continuaram pressionando e, aos 7 minutos, Bremer atropelou Zé Rafael dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Edigar Junio bateu forte e deixou tudo igual.

A virada saiu 11 minutos depois em lance polêmico. Após cobrança de falta, Edigar Junio, de cabeça, marcou. O auxiliar não correu para o meio-campo, mas, depois de uma conversa entre ele e o árbitro, o gol foi validado.

Aos 28, Robinho, o melhor em campo pelo Atlético, conseguiu o empate com um belíssimo gol. Após lançamento de Luan, que entrou no lugar de Otero, o atacante matou no peito e, de primeira, finalizou sem chances para o arqueiro do Bahia.

Próximo jogo

Na 35ª rodada do Brasileiro, o Atlético vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Vasco, na quarta-feira, às 21h45.

FICHA TÉCNICA 

BAHIA 2 X 2 ATLÉTICO

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Renê Júnior, Juninho, Zé Rafael (Vinícius) e Allione (Regis); Edigar Junio e Mendoza. Técnico: Paulo Cesar Carpegiani

ATLÉTICO: Victor, Bremer, Roger Bernardo, Mateus Mancini, Fábio Santos, Yago (Marlone), Elias, Valdívia (Gustavo Blanco), Otero (Luan), Robinho e Rafael Moura. Técnico: Oswaldo Oliveira

ÁRBITRO: Raphael Claus (SP). Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)

CARTÕES AMARELOS: Matheus Mancini, Valdívia, Luan (Atlético); Zé Rafael (Bahia)

GOLS: Robinho, aos 4 minutos do primeiro tempo e 28 do segundo tempo (Atlético); Edigar Júnio, aos 9 e 18 minutos do segundo tempo (Bahia) 

LOCAL: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

PÚBLICO: 29.769 pagantes

RENDA: R$ 917.391