Luan cabeceçou para fora, Cazares chutou muito forte, Fred? Muito fraco e com desvio. Robinho perdeu "a bola do jogo". O Atlético foi eliminado da Libertadores 2017 por não conseguir balançar as redes. O 0 a 0 contra o Jorge Wilstermann na noite desta quarta-feira (9) foi o terceiro jogo seguido do Galo sem fazer gols.

A última vez que o time alvinegro engrenou uma trinca de seca de gols foi há mais de quatro anos. Coincidentemente, o terceiro jogo sem marcar foi quando o Galo deu adeus à Libertadores de 2014, em abril/maio daquele ano. No jogo de ida contra o Atlético Nacional de Medellín, na Colômbia, o Atlético de Paulo Autuori perdeu por 1 a 0, tendo viajado com dois empates de 0 a 0 seguidos (Cruzeiro, na final do Estadual perdida, e Corinthians na estreia do Brasileirão).

Autuori caiu após a derrota para o time colombiano. Levir Culpi assumiu e não conseguiu a classificação, após o Galo empatar em 1 a 1 no Independência no jogo de volta. O atual técnico Rogério Micale, entretanto, não parece correr o risco de sair do cargo, até porque não completou nem um mês no comando do Galo.

Antes do Wilstermann, o Atlético passou em branco contra Corinthians e Grêmio, duas derrotas de 2 a 0 no Campeonato Brasileiro. O tema da ineficiência ofensiva foi abordada pelo presidente Daniel Nepomuceno.

"O ataque não vem fazendo gol, está falhando, eu sempre trouxe reforço. Se eu tiver que levantar alguns pontos é que o Atlético tem que voltar à característica dele, foi essa característica de ir pra frente que fez o time levantar taça", disse Nepomuceno, ao iniciar seu pronunciamento pós-eliminação.