O Atlético acertou a terceira contratação para 2017. O volante Roger Bernardo, entretanto, só chegará na metade da temporada, uma vez que cumprirá o seis meses restantes no Ingolstadt, da Alemanha.

O jogador vem de graça ao Galo e evidencia a postura da diretoria alvinegra no mercado: economizar em investimentos, estagnar a folha salarial e guardar os R$ 15 milhões previstos em orçamento para “contratações mais impactantes”.

Roger Bernardo, que assinou pré-contrato de três anos, não terá nenhum gasto (a não ser o salário), assim como o zagueiro Felipe Santana. O lateral Danilo custou cerca de R$ 700 mil ao Galo, que abateu o preço com a ida de Alex Silva para o América.

Sem querer estourar a folha salarial, o Atlético, mesmo tendo liberado jogadores como Dátolo e Edcarlos, sondou o meia-atacante Anderson, que poderia vir por empréstimo. Mas arcar com 50% dos salários do armador (que recebe mais de R$ 900 mil no Internacional) fez o Galo sair fora da briga.
 

Danilo Barcelos e Felipe Santana

ECONOMIA – Contratações de Danilo e Felipe Santana tiveram impacto limitado nas contas


O presidente Daniel Nepomuceno, inclusive, considerou as notícias sobre Anderson no Galo como “mentira absurda”, conforme disse ao portal Uol.

O salário também impediu que o Atlético repatriasse o volante Sandro, ex-Inter, que preferiu trocar o QPR (da segunda divisão inglesa) pelo Antalyaspor, time turco de Samuel Eto’o.

Ainda em busca de volantes, o Galo já reservou um lugar na folha salarial para Arouca, que busca a liberação junto ao Palmeiras.